Limpeza de caixas d'agua

Cuidar do espaço que guarda a água do condomínio é fundamental.  Em São Paulo, a lei obriga a se fazer ao menos duas limpezas no local por ano. Especialistas consultados nesta matéria também crêem, independente de lei, ser duas vezes por ano o necessário para manter o local em condições higiênicas adequadas.

Os períodos sugeridos para a execução do serviço são os meses de outubro e fevereiro, para que o condomínio se prepare para o uso mais frequente da água no verão e quatro meses depois fique com a caixa em dia para o inverno.

As fontes consultadas também alertam que não é recomendável fazer a limpeza por conta prórpia. Em algumas regiões o empreendimento fica sujeito à multa caso contrate um funcionário para fazer a limpeza da caixa, e não optar por um serviço especializado. 
 

Dicas de contratação

Em geral, empresas de controle de pragas oferecem pacotes desse serviço aliado à limpeza da caixa. Cheque se os funcionários receberam treinamento específico para esse serviço, e se a empresa tem alvará da Vigilância Sanitária.

Os colaboradores da empresa também devem usar o equipamento de proteção individual: luvas, galochas, máscaras de proteção simples, já que ficam em contato com produtos químicos.

O zelador deve acompanhar o trabalho da empresa contratada e verificar os seguintes procedimentos necessários para a limpeza:

A empresa contratada deve:

  • Checar situação estrutural e externa do reservatório
  • Fechar a entrada de água e esvaziar o reservatório
  • Escovar as paredes internas, a tampa e remover o lodo, evitando a entrada de sujeira nas tubulações de saída
  • Eliminar toda a sujeira, inclusive manchas (desde que possível), enxaguar e esvaziar novamente
  • Fechar adequadamente o reservatório, se possível com lacre e cadeado, impedindo a entrada de qualquer elemento estranho
  • O Zelador deve anotar a data da limpeza
  • Terminada a tarefa, deixar encher o reservatório e liberar para o consumo
  • É conveniente (e muito importante) efetuar análise bacteriológica para verificar a eficiência da desinfecção (limpeza)
  • Em edifícios é conveniente fechar antecipadamente a entrada do reservatório inferior, utilizando o superior para o consumo


Potabilidade

O teste de potabilidade é uma análise físico-química laboratorial que visa identificar a presença de bactérias, germes, entre outros organismos nocivos aos seres humanos

  • É aconselhável efetuar o teste semestralmente, após a limpeza da caixa d'água
  • Deve ser realizado por um laboratório especializado, pois o teste só tem um bom resultado se a amostra é bem coletada, ou seja, o frasco deve ser estéril. Outro ponto importante é onde coletar a amostra.
  • As próprias empresas que fazem a limpeza oferecem este tipo de serviço, mas o ideal é que a análise seja feita em laboratório independente
  • A coleta deve ser efetuada no reservatório, após sua limpeza
  • Ao contratar a empresa para a manutenção e realização do teste, certifique-se que tal empresa ou laboratório tem o alvará da vigilância sanitária em dia, e que o responsável técnico exista realmente
  • Para comprovação, deve exigir a cópia do alvará com a devida validade. A execução dos serviços deve ser acompanhada por um responsável local (zelador/síndico)
  • Se a água da caixa for reprovada na análise de potabilidade, pode-se entrar em contato com a empresa pedindo uma nova limpeza.

 Vale lembrar que o síndico é responsável também por esse quesito no condomínio e que se algum condômino passar mal devido a má qualidade da água, ele poderá ser acionado, inclusive judicialmente.


Serviço

 


Fontes consultadas: Sabesp; Maria Angélica Carneiro da Rocha Neves, gerente administrativa da Hirosaki dedetização, Sérgio Meira de Castro, diretor de condomínios do Secovi-SP