Atribuições do Síndico

Características de um síndico top

Especialistas do mercado explicam o que faz um síndico diferenciado

Por Mariana Ribeiro Desimone

terça-feira, 27 de novembro de 2018


Nessa semana comemoramos o dia do síndico, na maior parte do país.  Um dia é muito pouco para homenagear o trabalho incrível de gerir os condomínios de norte a sul do país.

E para você ficar cada vez melhor no cargo de síndico, o SíndicoNet foi atrás dos maiores especialistas do mercado para perguntar: quais são as três características que fazem um síndico ser top?

É difícl escolher apenas três características que sejam tão preponderantes. Mas muitos dos especialistas citaram a organização, comunicação e transparência como grandes diferenciais.

Confira as respostas abaixo e siga apostando em ser um síndico cada vez melhor para o seu condomínio!

Para mim, é importante que o síndico tenha cérebro, coração e estômago. Cérebro porque o trabalho do síndico deve ser cuidadoso como o de um estrategista, e para isso ele precisa dominar os processos da sindicatura. Coração para sempre que possível apostar na cordialidade, na empatia e conseguir se colocar no lugar do outro, seja um morador ou um funcionário. E estômago porque as pessoas estão cada vez mais imediatistas, agressivas e com comportamentos difíceis de lidar. Precisa de estômago para lidar com a minoria que faz barulho

Marcio Rachkorsky, advogado especialista em condomínios e colunista do SíndicoNet

Para um síndico ser diferenciado, é fundamental que tenha espírito comunitário, uma vez que ele está ali para trabalhar em prol daquela comunidade e não para representar seus próprios interesses. Deve ter princípios, para tomar decisões de forma mais honesta possível. E também deve contar com conhecimento de gestão, pelo menos para saber escolher quem deve auxiliá-lo a tomar decisões mais técnicas, que fujam do seu conhecimento”

José Roberto Graiche, diretor da Graiche administradora

Para o síndico ser top há necessidade dele conjugar conhecimento técnico básico no campo jurídico, contábil e de manutenção predial. Deve ter equilíbrio emocional, que se reflete na maturidade com que recebe críticas, sugestões e até mesmo oposição, mas principalmente no trato humano com os condôminos e funcionários do condomínio. Pro atividade para trazer novidades, tecnologia que resultam em um maior bem estar para os condôminos.

Zulmar Koerich, advogado especialista em condomínios e especialista do SíndicoNet

Como em qualquer outra área, na minha opinião, a principal habilidade do síndico deve ser o relacionamento com as pessoas. Um bom relacionamento, a atuação como um facilitador para a comunidade faz total diferença para o prédio. É  a diferença entre um prédio bom, com gestão participativa e colaborativa e um ambiente ruim e competitivo

Depois da facilidade do relacionamento com as pessoas, temos as questões mais voltadas a organização e disciplina para desenvolver e fazer cumprir um bom plano diretor para o condomínio. A capacidade de realização é fundamental

Angelica Arbex, da administradora Lello

Um síndico para ser diferenciado deve estar atento às novidades, não apenas tecnológicas, mas também de pensamento. Dessa forma, estará sempre atualizado com a sua gestão condominial. Deve ser bem humorado, para que consiga ter empatia e não levar tudo a ferro e fogo – ter uma leveza é fundamental para uma boa gestão. E finalmente, deve ser organizado. Um síndico que, ao ser perguntado sobre um dado responde ‘está tudo na minha cabeça’, é preocupante. O síndico top sabe o que precisa ser feito e quando e não aposta em deixar tudo isso dentro da cabeçá. 

Jaques Bushatsy, advogado especialista em condomínios, e colunista do SíndicoNet

“Para mim, um síndico top de verdade conta com postura ética, integridade e espírito conciliador. Acredito que seja impossível qualquer gestor, com qualquer conhecimento que tenha e habilidades que tenha adquirido, consiga ser um bom síndico sem essas três características”

Rosely Schwartz, especialista em condomínios e professora do curso de administração condominial da EPD (Escola Paulista de Direito)

Espírito conciliador, disponibilidade de tempo e descentralizador. Essas características, para mim, são os diferenciais em um síndico top. Espírito conciliador porque o síndico deve ser, antes de tudo, um pacificador social; deve ter disponibilidade de tempo, já que a atividade pede, muitas vezes, a presença física e não apenas a resposta por e-mail ou por outras vias. Ser um síndico descentralizador é fundamental pois além de conseguir dividir melhor as tarefas, ele viabiliza uma gestão mais participativa e democrática para o condomínio – sem, é claro, esquecer das suas próprias responsabilidades

Alexandre Marques, advogado especialista em condomínios e colunista do SíndicoNet

Bom senso, saber ouvir, capacidade de comando e autoridade são alguns dos atributos imprescindíveis ao síndico que se dispõe a administrar um condomínio. Indispensável a participação de administradora moderna para auxiliá-lo nas inúmeras tarefas do seu dia a dia” 

Hubert Gebara, vice-presidente de Administração Imobiliária e Condomínios do Secovi-SP

Para ser um síndico top é fundamental contar com organização e conhecimento, já que a sindicatura traz uma infinidade de obrigações e prazos, que devem ser cumpridos sempre. Precisa contar também com conhecimentos específicos para o cargo. Um pouco de direito, administração, psicologia, etc. E também de um bom relacionamento interpessoal, já que se relacionar bem ajuda a resolver e a evitar diversos conflitos.. Sem saber se relacionar, inclusive, as outras qualidades podem não ter tanta serventia

Rodrigo Karpat, advogado especialista em condomínios, colunista e especialista do SíndicoNet

Um síndico top é um síndico atualizado com as novas práticas no mercado, alguém que está buscando novos cursos e as últimas informações. Também é fundamental ter um perfil de gestor, principalmente para conseguir se ater ao planejamento financeiro do condomínio. E não menos importante, deve ter um perfil de mediador, porque hoje em dia é preponderante que o síndico consiga gerir bem as pessoas

Fulvio Staggi, síndico profissional

Os síndicos, atualmente, não podem ser vistos apenas como representantes dos condôminos e responsáveis pela arrecadação e pagamento das obrigações. Esse profissional passou a se qualificar para atender à demanda do mercado e à complexidade dos condomínios atuais. Nesse processo, destacamos a necessidade de conhecimento jurídico para tratar das questões cotidianas as quais ele é submetido, em especial na solução dos conflitos e na inadimplência.

O síndico também precisa ser um bom gestor patrimonial para administrar bens e recursos de terceiros, gerindo com competência o orçamento anual. Paralelo a essas qualidades técnicas, ele tem de ser um bom político para lidar com os condôminos e tornar o ambiente o melhor possível para o convívio em comunidade.

Atualmente, podemos afirmar que muitos condomínios possuem um orçamento maior que o de muitas cidades, exigindo que o síndico seja identificado como um prefeito.

Leonardo Mota, vice-presidente das Administradoras de Condomínios da CMI/Secovi-MG

Para um síndico top é importante que suas ações sejam norteadas por pesquisas, de forma que ele consiga saber quais são os interesses e vontades da maioria da comunidade. Um bom planejamento também é fundamental, para evitar que aquela minoria ruidosa seja a mais ouvida.

Além disso, ele deve se cercar de profissionais especializados para se obter os melhores resultados na gestão. Outro ponto necessário é que o síndico tenha comprometimento para colocar em prática os dois itens anteriores. Não adianta ter informação e contar com uma equipe competente se não fizer as coisas acontecerem, se não se ater aos prazos, por exemplo

Marcelo Duarte, diretor da administradora Sigecon e colunista do SíndicoNet

 Acredito que preparo, planejamento e práticas éticas são os pilares que permeiam um grande síndico. Isso porque sem preparo e planejamento, a gestão condominial fica sem foco, e o condomínio pode ser levado a destinos incertos e inesperados, o que não é o ideal. As práticas éticas permitem que essas decisões sejam tomadas com transparência, em prol do bem comum. Também acho que a frase de T. Lewitt expressa bem como a função de síndico deve ser exercida com "precisão de cientista e paixão de artista'

Gabriel Karpat, diretor da administrora GK e colunista do SíndicoNet

Um síndico top precisa contar com inteligência emocional, organização e paciência. Se não tiver essas três características bem desenvolvidas, dificilmente sua  gestão e seu dia-a-dia no condomínio serão positivos.

Como vai conseguir manter AVCB em dia, cuidar dos conflitos dos condôminos e zelar pelo bem estar de todos? Impossível

Gabriel Tyler, advogado criminal e colunista do SíndicoNet

Ter dinamismo é precioso para um síndico. As coisas em um condomínio estão sempre acontecendo: é um cano que estoura e ele precisa resolver, uma briga para mediar, problemas com funcionários. O síndico deve saber usar um pouco seu espaço para resolver de maneira a ágil e certeira esse tipo de problema. Para cuidar bem dessas situações deve ter equilíbro. Coerência também é fundamental. Assim, evita-se tomar decisões que beneficiem injustamente uma parte ou outra.

Fernando Zito, advogado especialista em condomínios e colunista do SíndicoNet

Um síndico que conta com equilíbrio e flexibilidade para lidar com as diversas situações impostas pela sindicatura com certeza já é diferenciado. Ele vai precisar usar muito essas habilidades para lidar com opiniões muito diferentes da dele e entre si durante a sua gestão. A comunicação também é um grande plus. Saber explicar e divulgar suas ações à frente do condomínio colabora com o clima do local. Ter um perfil agregador, de alguém que consiga unir grupos em pessoas em prol do condomínio é também um ótimo indício.

Fernando Fornícola, diretor da administradora Habitacional

Se o síndico souber ouvir seus funcionários e condôminos, ele consegue obter boas histórias e tem condições de agir rapidamente e no caminho certo – o que também é fundamental. Com jogo de cintura, é possível, dentro das leis, convenção, RI e decisões assembleares, facilitar a vida de todos, do funcionário ao morador. Por fim, ser organizado, e trabalhar bem em equipe e ser comunicativo permite que ele saiba qual caminho e decisões tomar

Nilton Savieto, síndico profissional

Na minha opinião, um síndico que seja reliente faz toda a diferença para o condomínio. É aquele gestor preparado para absorver a ‘pancada’ e não revidar, entende a situação com sabedoria, não responde na mesma moeda. Ele também deve ser imparcial no sentido de não favorecer os amigos, por exemplo. Deve tratar todos da mesma maneira. E também deve ser uma pessoa comprometida. O síndico é o CEO do condomínio. Deve entender que, muitas vezes, vai precisar tomar decisões fora do horário de trabalho. 

Odirley Rocha, diretor comercial da Kiper

  • Comunicação, por se tratar de algo vital para nosso dia a dia e principalmente para grandes comunidade, é fundamental. Sem comunicacao não existe sucesso em uma gestão.
  • Sociabilidade por trabalhar com pessoas de diferentes culturas, racas, poder aquisitivo, mulheres, homens, idosos, criancas, cachorros vizinhos precisa saber lidar com cada um deles.
  • Lideranca - por ser o responsavel para tomadas de decisões, organizar as equipes de trabalhos e conduzir reuniões e negociações com pessoas e empresas.

Roberto Piernikarz, diretor da administradora BBZ

Para ser um síndico top, primeiro ele precisa ter uma boa programação do que deve ser feito na sua gestão, e trabalhar em prol disso. Assim, fica mais fácil medir o que foi feito dentro do esperado. O síndico deve ser também capaz de liderar, sempre com transparência. E, para completar: deve ser capaz de tomar decisões de cabeça fria. Muitas vezes tomar uma decisão no calor do momento não é uma boa para o síndico. E é importante dizer: esses síndicos existem!

Abdon Gabriel de Souza, diretor da administradora Prop Starter

Para prosperar na gestão, é imprescindível que o síndico tenha boas habilidades de gestão. Ele deve ter um conhecimento razoável do assunto para poder tocar a vida condominial de todos. Outro ponto fundamental é o conhecimento da lei, assim ele consegue agir bem. Vale a pena ter esse conhecimento. E por último, deve ter um perfil conciliador. O síndico deve ser paciente e saber lidar com opiniões diversas. Sem isso, sua gestão está fadada ao fracasso

Maria Estela Capeletti, advogada especialista em condomínios e colunista do SíndicoNet

O síndico hoje não consegue mais gerir o condomínio 'pelo macro'. O bom gestor deve se cercar de uma ótima equipe, do zelador à administradora, passando também pelo escritório de advocacia e equipes de manutenção. Também é importante ter conhecimento técnico,  pelo menos para saber cobrar os seus parceiros sobre o que deve ser feito. Por fim, deve estar sempre atualizado.

Ricardo Karpat, diretor da Gábor RH e colunista do SíndicoNet