Administração de conflitos e brigas

Como lidar com a oposição

Agradar a todos é quase impossível. Por isso, é bom estar preparado

Por Mariana Ribeiro Desimone

segunda-feira, 18 de outubro de 2010


 

Em qualquer condomínio, o síndico deve saber que freqüentemente suas atitudes e ações vão gerar discordâncias, muitas vezes oriundas de um grupo de "oposição" à sua gestão.

Essas discordâncias acontecem mesmo em gestões eficientes, e podem ter naturezas diversas: a incompreensão sobre os motivos das atitudes do corpo diretivo, a luta pelo poder interno, antipatias pessoais, ou mesmo uma real insatisfação com dados objetivos da gestão.

Confira abaixo algumas dicas para administrar com a maior harmonia possível, neutralizando confrontos e mal-entendidos, e defendendo-se de agressões e perseguições.

Comunique-se

Divida responsabilidades

Não revide

Ampare-se em documentos

Depoimentos

"Sou Síndico há mais de 10 anos, faço uma gestão transparente, procuro ser justo com todos os condôminos, em meu prédio não temos aumento há mais de três anos. Mesmo assim, tenho os chamados 'opositores', desabafa o síndico Wagner Pradela. Para ele, todos os condomínios têm o mesmo problema, "quando o síndico é bom e mostra seus resultados, sempre incomoda alguém, principalmente à oposição".

Um exemplo de gestão transparente e democrática é dada por Pedro Ivo, da administradora CWR. Em um condomínio onde atua, mais de 60% das unidades pertencem a uma mesma família, que estava tomando decisões com interesses particulares, colocando em risco a segurança e o bem estar dos moradores.

"Queriam até mesmo rescindir o contrato de síndico, que tinha sido eleito em outra ocasião", conta Ivo. Uma simples conversa direta ajudou a dar outra direção à gestão: "Convocamos uma reunião, deixamos claro o nosso interesse em zelar pela segurança dos moradores, e conversamos com os proprietários sobre as decisões tomadas, que estavam sendo prejudiciais ao condomínio. Depois disso, o problema foi resolvido".

Para evitar "perseguições" e ter uma gestão harmônica, Conrado Garcia, diretor da administradora Perfil, aconselha: "máxima transparência na administração, agir sempre após consultar seus conselheiros, e não titubear na hora de uma ação judicial".

Fonte: Pedro Ivo Lima Souza - Depto. Financeiro - CWR Consultoria e Administração; Wagner Pradela - Síndico profissional; Conrado Garcia - Diretor da Perfil Soluções para Condomínios; Dr. Antonio Joerto Fonseca - Advogado