O seu navegador é muito antigo :-(

Dica: Troque para um navegador moderno para ter uma melhor experiência no SíndicoNet 😉

Saiba mais ×

Favoritos

Entrar

Pergunta

Estando presente o condômino, é possível a filha representá-lo e este representar outro condômino?

Por Leonilde Boscaini
Perguntou há mais de 1 ano

A filha estava representando o seu pai e este estava presente representando outro condômino, por sua vez a sua cônjuge estava representando outro condômino diferente dos demais citados acima. É possível anular uma assembléia que causou prejuízo a todos moradores do edifício, por conta dessa representação. E além de que outro morador estava representando o seu pai sem procuração.

Responder esta pergunta
WhatsApp
LinkedIn

Aviso: O portal SíndicoNet não se responsabiliza pelo conteúdo ou mensagens veiculados nesse espaço.


Respostas (3)

Ordenar:

cristiani regina de barros
cristiani regina de barros

Respondeu há mais de 1 ano

Boa noite Leonilde,pelo que li aconteceu uma série de irregularidades.A filha representando uma pessoa que estava presente na A.G.não tem cabimento,representar alguém no caso de ausência da pessoa, no que refere a cônjuge ao meu ver ela sim ,no que se refere ao representante do pai sem procuração, também incorreto,claro que digo isso se estiver na sua convenção a necessidade da procuração .Ao meu ver da sim para anular essa A.G.UM ABRAÇO

Compartilhar
WhatsApp
LinkedIn
Marisa Marta Sanchez
Marisa Marta Sanchez

Respondeu há mais de 1 ano

Lenilde perfeitamente legal que a filha represente o pai, ainda que presente, através de uma procuração que pode ser verbal ( a menos que a sua convemção o proiba expressamente). Assim como seria perfeitamente legal que o "dito pai" falasse por si mesmo e pelo seu mandante da procuração.

Outra coisa: conjuges normalmente também são condôminos, seja por união estável, seja por regime de casamento, então para vocês impugarem a presença de algum conjuge necessário ter a certeza absoluta que ele não é co-proprietário.

A única coisa pela qual você pode se apegar, e ainda assim é discutível, é a falta de procuração do pai para o filho, então veja se esse único voto foi realmente decisivo para o resultado da AG. E claro, verifique se tinha algum inadimplente votando e se essa decisão poderia ser sem quórum qualificado,

Outra coisa: em democracias vence-se por voto e não degolando os adversários depois. Se essa decisão foi prejudicial ao prédio reuna 1/4 dos condôminos e convoque uma nova AG para tratar novamente do assunto, e desta vez mobilize-se antes para conseguir mais procurações do que eles.

Axé

Compartilhar
WhatsApp
LinkedIn
francisco freitas mendes
francisco freitas mendes

Respondeu há mais de 1 ano

LEONILDE, qualquer pessoa podera representar qualquer pessoa, desde que devidamente portador de procuração nos moldes do artigo no. 654 do codigo civil, filha representando pai, pai representando outro condomino e esposa representando outro condominio, não há problema nenhum de ordem legal, claro que todos os eles, representantes, estejam munidos de procuração conforme ja mencionei. Sem procuração nada feito.

Francisco

Compartilhar
WhatsApp
LinkedIn

Conteúdos relacionados

Ranking do Mês

Usuários que mais respondem as perguntas

Pontuação
Entenda como funciona
Ranking geral

Faça suas cotações agora:

7.146 Compradores
14.703 Cotações
6.000 Fornecedores
Aviso importante:

As recomendações contidas nesta seção são realizadas pelos próprios usuários do Portal SíndicoNet, que não revisa nem controla as respostas apresentadas. Desta forma, o Portal SíndicoNet não assume nenhuma responsabilidade, a qualquer título, pela correção ou exatidão das respostas apresentadas, que são de responsabilidade exclusiva de seus autores. Neste sentido, o Portal SíndicoNet não se responsabiliza por nenhum dano, a qualquer título, decorrente da utilização das recomendações contidas nesta seção. Em caso de dúvidas, é indispensável a consulta a um advogado ou especialista.
Para saber mais, acesse nosso Regulamento de Uso.