O seu navegador é muito antigo :-(

Dica: Troque para um navegador moderno para ter uma melhor experiência no SíndicoNet 😉

Saiba mais ×

Favoritos

Entrar

Pergunta

Um funcionário foi ofendido moralmente e humilhado por um morador o que devo fazer?

Por Alexandre Girelli
Perguntou há mais de 1 ano

Responder esta pergunta
WhatsApp
LinkedIn

Aviso: O portal SíndicoNet não se responsabiliza pelo conteúdo ou mensagens veiculados nesse espaço.


Respostas (4)

Ordenar:

ANGELICA THOMAZ
ANGELICA THOMAZ

Respondeu há mais de 1 ano

Alexanre.
Esse assunto cabe as partes envolvidas. O funcionário pode processá-lo se for o caso e você (condômino) poderá ser testemunha. O síndico poderá mandar uma advertência caso esteja no R.I. sobre o respeito a massa condominial, que deve ser respeitada assim como qualquer cidadão.

Compartilhar
WhatsApp
LinkedIn
Ver todos os comentários (1)
Alexandre Girelli
Alexandre Girelli

Comentou há mais de 1 ano

Obrigado Angelica..
Só para você ter uma ideia o funcionário estava realizando um outro trabalho e este outro morador disse que antena coletiva do bloco dele era primordial e a partir dai disse absurdos ao trabalhador...
No regulamento não há este item.

Compartilhar
WhatsApp
LinkedIn
Marisa Marta Sanchez
Marisa Marta Sanchez

Respondeu há mais de 1 ano

Alexandre diferente do que se pensa, esse assunto não compete apenas às partes envovidas. Cada vez mais funcionários de condomínios conseguem comprovar assédio moral no trabalho por causa da arrogancia de alguns moradores e da inércia do síndico.

O que você deve fazer infelizmente é pouco, exceto, por uma questão de justiça, testemunhar perante o síndico e, se for o caso, na Justiça do Trabalho contra o condomínio e a favor do empregado. Eu faria, é uma postura ética minha. Aliás eu, como condômina, já levei um caso semelhante à assembleia em assuntos gerais e fiz constar da ATA que se o funcionário resolvesse por processar o condomínio eu seria a sua testemunha.

O que o síndico pode fazer já vai alem ok? Advertência e/ou multa para o condômino, passar uma circular a todos dizendo que é rigorosamente proibido a qualquer condômino reportar-se diretamente a qualquer funcionário e orientar aos funcionários que, em casos assim, virem as costas ao condômino encrenqueiro e chamem o síndico, o zelador ou seja quem for que esteja à frente do prédio.

Irrelevante apurar os motivos do condômino, em hipótese nenhuma cabe agressão moral contra ninguém.

Boa sorte, e parabéns pela sua postura de envolvimento.

Compartilhar
WhatsApp
LinkedIn
Ver todos os comentários (2)
Alexandre Girelli
Alexandre Girelli

Comentou há mais de 1 ano

Marisa neste caso o funcionário é o zelador eu não estava presente no momento mais há moradores que viram e ficar estarrecidos com o comportamento do morador no caso eu sou o sindico...
O que devo fazer?

Compartilhar
WhatsApp
LinkedIn
ANGELICA THOMAZ
ANGELICA THOMAZ

Comentou há mais de 1 ano

Marisa.
No meu caso foi uma questão pessoal à síndica, mediante a uma infração do R.I. Eu poderia mandar uma advertência, só que as ofensas foi por interfone, então eu não teria como ter provas.
No caso do Alexandre, é uma situação parecida desde que se tenha uma reclamação ao síndico e testemunhas, aí sim o cidadão antissocial pode receber uma multa/advertência. Caso contrário deve se mover uma ação judicial, caso queira.

Compartilhar
WhatsApp
LinkedIn
Angela Merici Grzybowski
Angela Merici Grzybowski

Respondeu há mais de 1 ano

Alexandre, aqui eu aplico advertência / multa ao morador que falte com educação ao funcionário, então sugiro que pense sobre isso.
Saiba que SE o funcionário quisesse levar isso à frente, em primeiro tempo ele poderia ter pedido demissão por justa-causa contra a empresa, nesse caso a empresa é obrigada a demití-lo pagando todas as verbas oficiais inclusive a multa do FGTS, e ainda, o funcionário pode processar o condomínio por assédio moral, podendo ganhar uma bela indenização.
Ou seja, os moradores devem ser orientados, nem que por força de advertência e multa, a tratar os funcionários com educação; se o morador está acostumado a destratar seus empregados ou mais próximos a ele, é um problema dele, mas destratar um funcionário do condomínio é criar problemas para o condomínio e por isso, cabe advertência e multa.
OK?!

Compartilhar
WhatsApp
LinkedIn
Tatiana Corovtchenco
Tatiana Corovtchenco

Respondeu há mais de 1 ano

Alexandre,

Já passei por isso. Um morador ofendeu um funcionário temporário, que estava cobrindo férias. Isso foi testemunhado pelo síndico e mais dois moradores. Um deles é advogado, que o funcionário contratou para processar o morador. A outra moradora não quis testemunhar para não criar mal estar com o vizinho.

O síndico relatou o ocorrido no livro de ocorrências, abaixo do relato do próprio funcionário, dizendo que o morador foi advertido pelo mal comportamento.

O morador foi condenado a pagar por danos morais.

Por sorte, o funcionário não processou o condomínio, mas sim o morador.

Compartilhar
WhatsApp
LinkedIn
Ver todos os comentários (1)
Marisa Marta Sanchez
Marisa Marta Sanchez

Comentou há mais de 1 ano

Dona Síndica com a atitude do síndico desagravando o funcionário ficou bem claro que o ofensor não foi o condomínio. Eu já vi caso em que o síndico ficou quieto e o condomínio também se estrepou.

Abraços

Compartilhar
WhatsApp
LinkedIn

Conteúdos relacionados

Ranking do Mês

Usuários que mais respondem as perguntas

Pontuação
Entenda como funciona
Ranking geral

Faça suas cotações agora:

7.146 Compradores
14.703 Cotações
6.000 Fornecedores
Aviso importante:

As recomendações contidas nesta seção são realizadas pelos próprios usuários do Portal SíndicoNet, que não revisa nem controla as respostas apresentadas. Desta forma, o Portal SíndicoNet não assume nenhuma responsabilidade, a qualquer título, pela correção ou exatidão das respostas apresentadas, que são de responsabilidade exclusiva de seus autores. Neste sentido, o Portal SíndicoNet não se responsabiliza por nenhum dano, a qualquer título, decorrente da utilização das recomendações contidas nesta seção. Em caso de dúvidas, é indispensável a consulta a um advogado ou especialista.
Para saber mais, acesse nosso Regulamento de Uso.