O seu navegador é muito antigo :-(

Dica: Troque para um navegador moderno para ter uma melhor experiência no SíndicoNet 😉

Saiba mais ×

Favoritos

Entrar

Pergunta

Marly Leonor

Rateio Boleto do Condomínio entre Proprietário x Inquilino.

Por Marly Leonor
Perguntou há mais de 1 ano

Boa noite pessoal! Obrigado por tirarem dúvidas de tanta gente. Seria difícil sem a ajuda de vocês.

Caso:
Administradora emiti boleto em nome do proprietário descriminando toda as despesas, o inquilino que recebe o boleto diz ter dificuldades em repassar taxa extra para o proprietário.

Perguntas:
1 - É obrigação do condomínio/administradora emitir 2 boletos (Inquino despesas ordinárias e proprietário Taxa Extra aprovada em assembléia ou o inquilino que deve negociar com proprietário?
2 - Caso exista uma Imobiliária, ela é quem deve fazer este rateio?

Responder esta pergunta
WhatsApp
LinkedIn

Aviso: O portal SíndicoNet não se responsabiliza pelo conteúdo ou mensagens veiculados nesse espaço.


Respostas (8)

Ordenar:

Anônimo
Anônimo

Respondeu há mais de 1 ano

Marly

a obrigação da administração é ratear as despesas e cobrar.

Não existe obrigação, nem responsabilidade do condominio em contratos particulares de locador e locatario.

Eles é que tem que se entender.

Compartilhar
WhatsApp
LinkedIn
Marisa Marta Sanchez
Marisa Marta Sanchez

Respondeu há mais de 1 ano

Marly a relação que o condomínio tem é com o condômino, quem responde pela unidade é o condômino de forma que o boleto é emitido para o condômino.

Como ele se entende com o inquilino dele, problema deles e não seu. Se esse condômino paga para que alguma imobiliária administre a locação, então compete a essa imobiliária fazer o rateio desse boleto. Se o condômino optou em economizar uns trocados e administrar pessoalmente a sua locação então ele que se vire.

Não meta o condomínio nessa: cobre o boleto integral do condômino. E não esqueça que se esse inquilino infringir alguma norma do prédio que enseje multa, a multa também será cobrada do condômino, ok?

CONDOMÍNIO TEM CONDÔMINO.
CONDOMÍNIO TEM MORADORES.
CONDOMÍNIO NÃO TEM INQUILINO.

Abraços

Compartilhar
WhatsApp
LinkedIn
Angela Merici Grzybowski
Angela Merici Grzybowski

Respondeu há mais de 1 ano

Marly, a obrigação da administradora do condomínio é emitir o boleto da unidade e encaminhar ao endereço indicado para correspondências do condômino; a eventual divisão dos valores a serem pagos pelo inquilino e pelo proprietário será um problema a ser resolvido por eles à luz do contrato assinado entre as partes e a Lei do Inquilinato.
Caso exista imobiliária, ela deve atender às funções contratadas pelo proprietário da unidade para administrar a locação.

Compartilhar
WhatsApp
LinkedIn
Raimundo Vasconcelos
Raimundo Vasconcelos

Respondeu há mais de 1 ano

Tenho um amigo que alugou o apartamento dele (em BH-MG) e sempre teve problemas deste tipo. As Imobiliárias estão sempre querendo impor suas próprias interpretações do que é "despesa ordinária" e "despesa extraordinária". Todo condomínio considera, por exemplo, a manutenção de extintores, o seguro e alguns consertos de máquinas como despesa ordinária - pertence ao inquilino, mas como são despesas que não aparecem mensalmente (às vezes só anualmente), os inquilinos/imobiliárias interpretam como extraordinária.

No começo do ano houve um aumento da taxa de condomínio, de 70,00 para 100,00 e o inquilino foi à Imobiliária e disse que a diferença de 30,00 era para Fundo de Reserva, sendo que o que foi combinado era que os 30,00 iriam compor uma reserva para futuras despesas, pois a água poderia aumentar, a luz também. Para acabar com a confusão o proprietário aceitou que o inquilino continuasse pagando os 70,00 e os 30,00 ficaram para o proprietário.

Compartilhar
WhatsApp
LinkedIn
Marisa Marta Sanchez
Marisa Marta Sanchez

Respondeu há mais de 1 ano

Raimundo a rigor o inquilino apenas pagaria a parte dele no rateio das despesas ordinárias, sazonais ou não. Mas como nós trabalhamos por previsão orçamentária e não por despesas reais o inquilino acaba se estrepando porque paga também pela inadimplência que, quando sanada, fica na conta do condomínio, concorda?

FR realmente é por conta do locador, e quando se usa dinheiro do FR para despesas ordinárias o inquilino paga. O problema é que ninguém quer ter o trabalho de fazer a coisa certa; será sempre "meia boca" até a coisa parar na justiça.

Abraços

Compartilhar
WhatsApp
LinkedIn
Simone Muller Vidal
Simone Muller Vidal

Respondeu há mais de 1 ano

Sugestão... No boleto, a administradora deve deixar claro qual o valor cobrado a título de despesas ORDINÁRIAS e despesas EXTRAORDINÁRIAS. O inquilino deve/pode apresentar esses boletos à imobiliária solicitando desconto no valor do aluguel referente às despesas EXTRAORDINÁRIAS.

Todas as vezes em que fiz locação de imóveis, tratei da forma acima. Em uma das imobiliárias, eu tinha dificuldade de estar lá mensalmente em posse dos meus boletos; assim combinamos que eu apresentaria os balancentes contendo o montante gasto com despesas EXTRAORDINÁRIAS a cada três meses. As demais imobiliárias aceitavam que eu enviasse a cópia dos balancetes/boletos por e-mail, fazendo o desconto do montante que paguei por despesas EXTRAORDINÁRIAS no valor do aluguel a ser cobrado no mês seguinte.

Compartilhar
WhatsApp
LinkedIn
Marisa Marta Sanchez
Marisa Marta Sanchez

Respondeu há mais de 1 ano

Simone a administradora até pode emitir os boletos separando o que aquele condomínio entende por despesa ordinária e extraordinária; o problema é que o condomínio não é nem mesmo obrigado a emitir boleto, ok?

Insisto: aluguel de imóvel é lucro do locador e portanto administrá-lo é trabalho do locador.

Abraços

Compartilhar
WhatsApp
LinkedIn

Conteúdos relacionados

Aviso importante:

As recomendações contidas nesta seção são realizadas pelos próprios usuários do Portal SíndicoNet, que não revisa nem controla as respostas apresentadas. Desta forma, o Portal SíndicoNet não assume nenhuma responsabilidade, a qualquer título, pela correção ou exatidão das respostas apresentadas, que são de responsabilidade exclusiva de seus autores. Neste sentido, o Portal SíndicoNet não se responsabiliza por nenhum dano, a qualquer título, decorrente da utilização das recomendações contidas nesta seção. Em caso de dúvidas, é indispensável a consulta a um advogado ou especialista.
Para saber mais, acesse nosso Regulamento de Uso.