O seu navegador é muito antigo :-(

Dica: Troque para um navegador moderno para ter uma melhor experiência no SíndicoNet 😉

Saiba mais ×

Favoritos

Entrar

Pergunta

pode um síndico que recebe remuneração ter outro emprego?

Por Eduardo bernardo agostinho
Perguntou há mais de 1 ano

temos um síndico que além de ser isento da taxa condominial, recebe salário para ser sindico. porém esta atualmente trabalhando externo e fica ausente durante o dia todo.

Responder esta pergunta
WhatsApp
LinkedIn

Aviso: O portal SíndicoNet não se responsabiliza pelo conteúdo ou mensagens veiculados nesse espaço.


Respostas (10)

Ordenar:

Maria Telma Falcão de Carvalho
Maria Telma Falcão de Carvalho

Respondeu há mais de 1 ano

POder ter um emprego, até pode, No caso do sindico profissional ele não fica o dia todo no condominio e nem vai todo dia.
Agora, ser isento da taxa condominial e ainda ser pagao para exercer a função de síndico, ele quer ganhar na moleza. Daí e jogar dinheiro fora e isso não pode.
Convoque uma assembléia 1/4 de condominos e destitua esse síndico.

Compartilhar
WhatsApp
LinkedIn
João Uller
João Uller

Respondeu há mais de 1 ano

Pode; claro que pode. A sindicatura não é um emprego. Conheço muitos síndicos aqui em Curitiba que trabalham fora o dia todo e exercem o cargo de síndico no seu condomínio, dando conta do recado; e tem mais, é comum aqui condomínios não terem administradora e sim um contador para os serviços de escritório. Sai bem mais barato para o condomínio, lógicamente, quando o próprio síndico administra.
Sobre o síndico ter isenção da taxa condominial e mais uma remuneração, é claro que também pode desde que conste na convenção, regulamento interno ou foi autorizado por assembleia.
Conheço um condomínio, popular, com aproximadamente 300 (trezentos) apartamentos. A taxa lá está em torno de R$80,00 (oitenta) reais.
Uma pergunta para quem acha absurdo e motivo de destituição de síndico que ganha mais do que a isenção da taxa: Você aceitaria ser síndico lá em troca da isenção da taxa ?. Se responder que sim, posso até pensar que sua intenção é meter a mão no caixa....
Boa sorte.

Compartilhar
WhatsApp
LinkedIn
E. Rui Franco
E. Rui Franco

Respondeu há mais de 1 ano

Eduardo, isenção e recebimento, é dupla remuneração. Deveriam rever essa situação em assembléia. O Sindico está se beneficiando de forma imoral de uma situação. Quanto atrabalhar fora, é um direito constitucional e pessoal nada interessa ao Condomínio ou aos Condôminos. É assunto de foro íntimo. Os srs. devem analisar se a administração está como deveria ser ou não. O fato dele estar fora o dia todo, não justifica sua indignação, agora se ele está fora e não há comando dentro do Condomínio, aí sim, como disse a Jussara. Com outros condôminos na quantidade necessária conforme convenção de constituição de seu condomínio ou analógicamente o Novo CC., comunique AG e destitua-o com o quaorum necessário. Qualquer pessoa física ou jurídica pode ser síndico, morando ou não no condomínio. Se hpouver interesse, me contate.

Compartilhar
WhatsApp
LinkedIn
Maria Telma Falcão de Carvalho
Maria Telma Falcão de Carvalho

Respondeu há mais de 1 ano

Caro João Uller,

Quandoa pessoa é isenta da taxa condominial e ainda recebe um pagamento por ADMINISTRAR o condomínio, até aí tudo bem; agora ganhar os dois e não administrar o condomínio, perá aí, é um pouco demais você não acha?

eu sou síndica profissional, não tenho isenção do condomínio e ganho uma remuneração; com certeza não trabalharia de graça, mas a pessoa que recebe tem que fazer algo concorda? Por isso minha opinião de tirá-lo, já que ele apenas recebe e não administra. Foi o que eu entendí pela colocação do Sr. Eduardo.

Compartilhar
WhatsApp
LinkedIn
Jussara Cunha
Jussara Cunha

Respondeu há mais de 1 ano

Síndico não é emprego.
Assim sendo, síndico não recebe férias, 13o., FGTS, plano de saúde, cesta, etc. A não ser que a AG acate algum tipo de remuneração, nesse formato p/ o síndico.
A isenção, a maioria das convenções contempla. O termo "Ajuda de custo" incorpora tudo referente a remuneração. Não é o SALÁRIO na concepção plena, senão teriam os encargos citados!
Agora vamos ao tempo dedicado para a sindicância: para que meu condomínio (264 unidades, 2 torres, 3 salões, 1 churasqueira, academia, piscina, 3 andares de garagem, 13 funcionários) entrasse nos trilhos de funcionamento próprio - que dispensa a presença da síndica - foi necessário 1 ano de dedicação plena. Claro que não recebi nem perto do que um síndico profissional recebe no mercado SP e que acabam atendendo a 4 a 6 condomínio, dedicando meios-períodos a cada um deles. Aliás, não era nem próximo do que o condomínio pagou p/ a sind. prof. que me antecedeu.

Hoje, 2o. mandato, o condomínio anda por suas próprias pernas. Na ajuda de custo eu pedi e foi aprovado pagamento de meu plano de saúde.

Fonte: Sindicância não é carreira e muito menos profissão! Pelo menos por enquanto! Não conta tempo de serviço, nem aparece p/ curriculum. Se o síndico tem o condomínio organizado, os VERDADEIROS funcionários do condomínio saberão como agir. Onde já se viu síndico sendo o 1o. para resolver o cotidiano do condomínio?! Então p/ q ter porteiro, zelador, ronda, limpeza! Os funcionários são pessoas capazes e q têm condição de resolver 90% dos problemas condominias DIRETO. A não ser que o condomínio contrate pessoas muito incapazes, uns selvagens, que não tem noção nenhuma! Meus funcionários conduzem o condomínio de modo excelente - e o de maior escolaridade fez até a antiga 7a. série! Diploma não dá inteligência!

Compartilhar
WhatsApp
LinkedIn
Jussara Cunha
Jussara Cunha

Respondeu há mais de 1 ano

Com a equipe treinada por mim no q eles têm poder de decisão e resolução, a síndica agirei no q seja necessário minha intervenção: cotações, compras diretas, definição de escopo de serviço, definição de prioridades, atualização das listas cadastrais - quero automatizar isso - 3o. nível p/ resolução de conflitos (advertências) q não dispensa mais q umas 4 a 8 horas semanais. Aliás é o que normalmente os sindicos profissionais dispensam ao custo de cerca de R$ 15,00/unidade. O fato de estar ausente não significa que a administração não esteja sendo realizada.

E se p/ o síndico não compensa abandonar a carreira profissional dele p/ ser exclusivamente síndico - profissionalmente e/ou financeiramente - o síndico pode ter o exercício profissional dele, além da atividade de síndicância, sem que nenhuma delas seja prejudicada.

Compartilhar
WhatsApp
LinkedIn
Kleber Rebouças
Kleber Rebouças

Respondeu há mais de 1 ano

Apenas acrescentando que, se o síndico é isento e ainda recebe para exercer o cargo, deve-se considerar como remuneração a soma da isenção mais o valor recebido em espécie.

Quanto a poder acumular com outro emprego, não há nenhum impedidmento, como já foi bem explicado.

O que os condôminos tem que analisar é se o custo/benefício de ter essa pessoa como síndico está compensando.

Compartilhar
WhatsApp
LinkedIn
Jussara Cunha
Jussara Cunha

Respondeu há mais de 1 ano

Olha, em época em que teremos em breve em mãos o telefone com holograma, ativando a imagem virtual da pessoa c/ a qual esteja falando. Tecnologia de comunicação quase lendo nosso pensamento e exigir ou acreditar que o fato de não ver o grão dos olhos de alguém significa que a pessoa esteja ausente?!

Tem vários condôminos que não me conhecem e eu não conheço muitos! E pode passar a avaliação que está lá, minha medalha de gestão: mais que 75% de aprovação em qualquer setor do condomínio! Inclusive o "inferno" da garagem!

Eu posso ter o CFTV do condomínio no meu celular, na palma da mão! Mas eu não preciso disso para o condomínio andar! Aliás se ele só funcionasse assim, a minha administração seria uma M&%$# com mosca em cima! Onde já se viu o local bem administrado só funcionar qdo o gerente esteja presente! Aí é administração de capataz!

Compartilhar
WhatsApp
LinkedIn
Silmara Luz da Silva
Silmara Luz da Silva

Respondeu há mais de 1 ano

No meu condominio o síndico recebe um salário de aproximadamente R$ 1.200,00. Já solicitei através do livro de ocorrência 9 vezes para me dar o Regimento Interno, o que não ocorreu. Consegui através de uma moradora e observei que o Regimenro Interno não pertence ao nosso condominio pois fala de piscina, sala de jogos e não temos nada disso lá. Parece que ele tirou cópia de algum outro condominio e colocou lá. Fora isso o cidadão NUNCA esta lá, nem de manhã, nem de tarde, dem de noite, todos os dias da semana. Quando vc abre o livro é só reclamação. Ele pode trabalhar fora, é direito dele, mas deve tb ceder algumas horas para resolver os problemas do condominio já que recebe salario para isso. Quem não tem competencia não se estabelece. Graças a Deus esta chegando o mes para votarmos outro sindico. Péssima gestão desse senhor!!!

Compartilhar
WhatsApp
LinkedIn
ROSELAINE
ROSELAINE

Respondeu há mais de 1 ano

Você conhece a função do síndico antes de alegar que ele fica "ausente"...........nos síndicos vamos em reuniões em escritórios de advogados, seja processo contra construtora, seja cobrança dos inadimplentes, nos síndicos recebemos as contas de água, energia e gás e analisamos todos mês se o consumo esta dentro dos parâmetros, nos síndicos cuidamos das cotações dos serviços obrigatórios como recarga de extintores de incêndio, limpeza de caixas de gordura, dedetização...tem limpeza da área comum, tem compra de material, tem mensagens de reclamações para responder..............
Ahhhh meu amigo, hoje um síndico se compara a uma mãe, faz tudo e não é reconhecido

Compartilhar
WhatsApp
LinkedIn

Conteúdos relacionados

Aviso importante:

As recomendações contidas nesta seção são realizadas pelos próprios usuários do Portal SíndicoNet, que não revisa nem controla as respostas apresentadas. Desta forma, o Portal SíndicoNet não assume nenhuma responsabilidade, a qualquer título, pela correção ou exatidão das respostas apresentadas, que são de responsabilidade exclusiva de seus autores. Neste sentido, o Portal SíndicoNet não se responsabiliza por nenhum dano, a qualquer título, decorrente da utilização das recomendações contidas nesta seção. Em caso de dúvidas, é indispensável a consulta a um advogado ou especialista.
Para saber mais, acesse nosso Regulamento de Uso.