Infiltrações

Acabe de vez com as goteiras na garagem do condomínio

Conheça as principais causas e soluções para resolver o problema de gotejamento e infiltração

Por Inês Pereira

07/06/19 12:42 - Atualizado há 3 meses


Condomínio nenhum está livre do gotejamento insistente, que acaba com a paciência até do síndico mais tranquilo. 

O fato é que ninguém convive bem com goteiras na garagem. Nem os gestores nem os moradores. As poças que marcam o chão e prejudicam a limpeza são só o começo do problema.

Quando gotas mancham a pintura dos carros, os moradores apresentam a conta do reparo ao condomínio. Uma situação comum, entre outras que desgastam o dia a dia.

Normalmente ocorrem debaixo das lajes do pavimento térreo, que é -- ou deveria ser! --  impermeabilizado. 

“Essa ocorrência indica falha e necessidade de reparos no sistema de impermeabilização do térreo. Além de uma provável recuperação das peças estruturais do subsolo, que podem ter sido atacadas pela umidade”, avalia o engenheiro Zeferino Velloso.

Uma coisa é certa: goteiras e infiltrações na garagem são oriundas principalmente de falta de manutenção adequada. Ou seja, podem ser evitadas. E, caso já estejam atormentando, tem solução. 

Principais causas de goteiras na garagem 

Esse pequeno grande problema não necessariamente tem a ver com a idade do  empreendimento. 

“Eu atuo em condomínios antigos, que possuem subsolos intactos, com boa manutenção e conservação; assim como novos, que acabaram de ser entregues pela construtora, onde eu tenho problemas de gotejamento em algumas partes da laje”, conta Marcelo Ardito, síndico profissional. 

Tanto goteiras quanto infiltrações ocorrem por diferentes causas. Veja os pontos de atenção: 

Saiba mais sobre os encanamentos do condomínio

“Quanto mais prédios (com subsolos) vão sendo construídos numa região, maior é o ataque do lençol freático aos que já estavam construídos”, avisa Velloso.

Conheça as soluções para estancar as gotas

Solução 1: Canos

“Nesse caso, nunca fazer uma manutenção paliativa. Uma vez que haja vazamento e ele não é consertado, o problema vai aumentar”, alerta Savieto. 

Solução 2: Ralos e drenagem de jardim

Para a correção dos ralos, é necessário limpeza com empresa especializada ou equipe de manutenção do prédio. 

No caso de drenos do jardim, é um pouco mais trabalhoso, mas recomenda-se que, na altura dos drenos, se faça a retirada da terra, identifique o problema e corrija; além de desentupir, se necessário, e deixar livre para evitar problemas no futuro. 

Dica: Tomar e o máximo de cuidado com o tipo de planta que será colocado no jardim, evitando plantas com raízes fortes, que se ramifiquem muito.

Solução 3: Impermeabilização do térreo

Ao menor sinal de vazamento chamar uma empresa especializada para fazer a avaliação, pode ser corrigido de várias formas -- retirada da manta de impermeabilização, injeção ou outro tipo de correção.

Por ser uma solução mais complexa e cara, será necessário levar para aprovação em assembleia.

Dica: A famosa colocação de “calhas” para conter goteiras é um “veneno” para o concreto e deve ser evitada.

Solução 4: Lavagem de garagens 

NUNCA utilizar mangueira para fazer a lavagem, principalmente se for no 1º subsolo. Nesse caso, faça a limpeza com um mínimo de água e imediatamente enxugue. Ou utilize  equipamento específico que lava. Isso evitará que a água se acumule e penetre no piso. 

Solução 5: Lençol freático

Nesse caso, recomenda-se a criação de um sistema de drenagem. As águas infiltradas devem ser recalcadas (bombeadas) para a sarjeta.

A importância da manutenção preventiva

Em primeiríssimo lugar, não deixe de modo algum que os pingos evoluam para um fio de água. Fatalmente vai causar danos nos carros e custos para fazer o reparo. Isso pode ficar mais caro do que o conserto do problema.

A revisão periódica do térreo é parte da lição de casa. Sem o acompanhamento de profissional especializado, nunca permitir que façam furos, instalem aparelhos mais comuns como brinquedos do playground, postes de iluminação, instalação de cabeamento de TV a cabo, telefonia, CFTV ou similares. 

“Periodicamente, é necessário fazer a inspeção visual da garagem para verificar se há pequenos vazamentos que iniciam com ‘pingos’ nos carros. Ou, quando não há carro na vaga, constatar se o piso está úmido”, recomenda Savieto.

Da mesma forma, também devem ser feitos periodicamente testes de vazão e revisão de ralos

Dica: Atenção aos períodos chuvosos ou na rega periódica para visualmente verificar se não acumula água e deixa a terra encharcada.

Quando é preciso contratar profissional especializado

Às vezes o próprio corpo diretivo e o síndico, na qualidade de administrador, detecta o problema com o manutencista e, se for algo mais simples, o problema pode ser resolvido internamente.

“Quando a questão é mais complicada, o melhor a fazer é contratar um profissional habilitado, que pode ser um engenheiro hidráulico ou civil, para ver o que está acontecendo. É importante ser um profissional acostumado a lidar com esse tipo de problema. Às vezes, é mais difícil detectar do que resolver”, orienta Ardito.

Numa obra de médio a grande porte, é importante planejar o tempo, o orçamento e a conscientização dos condôminos sobre a importância de se resolver a situação.

É recomendado envolver a construtora, pedido de acompanhamento por um engenheiro profissional e habilitado --  de preferência que participou da idealização construção do empreendimento. 

Claro, nos prédios mais antigos isso não é possível. Mas um engenheiro ali presente vai saber direcionar. 

“De qualquer forma, é sempre bom escutar o parecer de, no mínimo, duas empresas”, acrescenta Paulo Ribeiro, síndico profissional. 

O condômino tem direito a ressarcimento em caso de goteiras na garagem?  

Imagine que o carro estacionado na vaga sob a goteira é o seu. Obviamente você vai querer receber do condomínio o valor gasto no reparo necessário. E estará coberto de razão. 

“Quando o vazamento foi originado de uma área comum -- e o síndico foi eleito para gerir o condomínio e responder pela manutenção das áreas comuns -- sim, o condômino pode e deve cobrar a responsabilidade do condomínio”, afirma Ribeiro

Dica: Mancha no carro causada por goteira pode ser ter uma solução mais simples e caseira. Antes de partir para a oficina ou o posto de serviços, sugira que o morador experimente a técnica do limão, que consiste na aplicação do sumo sobre o local da mancha. Veja dois vídeos que explicam como fazer:

Sem sombra de dúvidas, deu para sentir que a manutenção preventiva ainda é o melhor remédio para evitar a dor de cabeça.

Fontes consultadas: Nilton Savieto (síndico profissional); Zeferino Velloso (engenheiro, diretor da VIP – Vistorias Inspeções Prediais Engenharia Ltda); Marcelo Ardito (síndico profissional) e Paulo Ribeiro (síndico profissional e diretor da Seleto Síndicos Profissionais).