O seu navegador é muito antigo :-(

Dica: Troque para um navegador moderno para ter uma melhor experiência no SíndicoNet 😉

Saiba mais ×

Favoritos

Entrar

Pergunta

ARMANDO ALVES DA COSTA NETO

O atitude devo tomar quando o zelador morre de morte natural e mora no estabelecimnto do condominio

Por ARMANDO ALVES DA COSTA NETO
Perguntou há mais de 1 ano

O zelador morava no local do serviço e tinha uma esposa e um filho de 5 meses, acabou falecendo o que atitude devo tomar junto aos seus familiares.

Responder esta pergunta
WhatsApp
LinkedIn

Aviso: O portal SíndicoNet não se responsabiliza pelo conteúdo ou mensagens veiculados nesse espaço.


Respostas (6)

Ordenar:

Aderson José de Oliveira
Aderson José de Oliveira

Respondeu há mais de 1 ano

Armando, com muito tato, se é por conta da moradia, use de muito tato e converse com a viuva, dando um prazo razoável para desocupação, quanto a contratar outro, vocês podem contratar de pronto,ok

Assinatura: Aderson José
Sorocaba-sp

Compartilhar
WhatsApp
LinkedIn
Harold
Harold

Respondeu há mais de 1 ano



Veja o que diz a convenção coletiva dos funcionarios de SP (2013) de 2014 ainda não foi divulgada pelo SECOVI.


CLÁUSULA VIGÉSIMA QUINTA - AUXÍLIO FUNERAL
Será concedido auxílio-funeral por parte dos empregadores, no valor de 02 (dois) pisos salariais da categoria,
pago aos dependentes designados perante a Previdência Social, no caso de falecimento do empregado com
mais de 12 (doze) meses no emprego.
Parágrafo Primeiro - Para os dependentes do empregado que residam no imóvel, o pagamento do auxílio
referido na presente cláusula será feito da seguinte forma:
a) o valor correspondente a um piso salarial, na data do óbito;
b) outro piso na data da desocupação do imóvel.
Parágrafo Segundo ? O benefício previsto na presente cláusula poderá ser garantido através de apólice de
seguro de vida.


Harold

Compartilhar
WhatsApp
LinkedIn
Marisa Marta Sanchez
Marisa Marta Sanchez

Respondeu há mais de 1 ano

Armando você precisa verificar o que diz a Convenção Coletiva de Trabalho da categoria aí de Curitiba. ok? Com certeza haverá um tempo de carência para a família deixar o imóvel.

Abraços

Compartilhar
WhatsApp
LinkedIn
nilo de araujo borges junior (advo)
nilo de araujo borges junior (advo)

Respondeu há mais de 1 ano

Prezado Armando Já conheci excelentes zeladoras. Por acaso a viúva teria condições de ser uma boa zeladora ? Pense nessa possibilidade e a solução pode ser essa. Mas não esqueça a parte trabalhista lembrada pelos colegas de fórum. Nilo A Borges Jr.

Compartilhar
WhatsApp
LinkedIn
Washington Luiz de S. Moreira
Washington Luiz de S. Moreira

Respondeu há mais de 1 ano

Alguém sabe se existe alguma obrigatoriedade de seguro para funcionários de prédios feito pelo prédio para eles.............

Compartilhar
WhatsApp
LinkedIn
Lucas Silva
Lucas Silva

Respondeu há mais de 1 ano

Washington Luiz de S. Moreira,

Conforme foi dito em um outro tópico, o seguro não é obrigatório, porém se o funcionário não tiver esse recurso e acabar falecendo ou tendo algum acidente e trabalho ele poderá entrar na justiça contra o condomínio..... veja o artigo....


Apesar de não ser obrigatório, é essencial o condomínio contratar o seguro de vida para os funcionários, pois o síndico e o próprio Condomínio ficam amparados e protegidos financeiramente. O sindicato da categoria exige em caso de morte do funcionário uma indenização para os beneficiários, no valor de até 12 vezes o salário, mais duas vezes o piso da categoria, para arcar com as despesas de funeral.

É comum que alguns condomínios não tenham o seguro de vida e isso pode refletir em um problema considerável. No caso do falecimento de um funcionário, não é raro familiares acabarem recorrendo diretamente ao síndico e ao Condomínio para custear as despesas funerárias. Tal encontro pode gerar a falta de recursos no caixa do condomínio, causando constrangimento.

Também não se pode descartar a vulnerabilidade de condomínios que, assim como empresas, podem receber processos de funcionários na ocorrência de um acidente. Evidentemente, caso não haja uma cobertura de um seguro, haverá dificuldades em enfrentar a pena da justiça do trabalho. O ganho de causa na maioria das vezes beneficia o trabalhador, o que pode variar o valor é o tipo da causa e interpretação do juis. Por esse motivo, é bom estar protegido com um seguro compensador ao funcionário do condomínio, evitando assim maiores preocupações. Deste modo, conceder o benefício do seguro aos empregados, não pode ser considerado como um custo, mas sim um recurso protetor, que traz tranqüilidade em vários aspectos, principalmente na questão financeira.

A vantagem de tal prevenção tem um custo benefício muito interessante para o Condomínio, Pois da mesma forma que protege financeiramente todos os envolvidos, também funciona como um benefício ao seu funcionário.

Normalmente é comum os síndicos contratarem em sua apólice para o prédio a Cobertura de Vida em Grupo, porém nesse modelo de plano, pode não ser o ideal, já que numa contratação de uma apólice específica, o investimento concede valores reduzidos e agrega mais benefícios para os funcionários do condomínio. Isso sem contar que na regulação do sinistro, a indenização é menos burocrática e mais rápida.

Existem opções interessantes que realmente cabem no bolso do condomínio. ?O seguro de vida contratado na apólice do prédio, por exemplo, com uma importância de R$ 80.000,00 ? para cinco funcionários ?, custa em média, somente para as coberturas de morte por qualquer causa e invalidez por acidente, entre 0,50% a 0,80% (dependendo da seguradora). Ou Seja, R$ 240,00 no ano.

Contratando uma apólice específica com essas mesmas importâncias e coberturas, a taxa cai para 0,12% ao ano. Representando um valor em torno de R$ 97,00 no ano.

Incluindo as coberturas adicionais de assistência funeral familiar ? cônjuge e filhos ? e cesta básica, essa taxa custará 0,32% ao ano. Ou seja, um custo anual de R$ 256,00, declara Marcio Diniz, diretor da Edifiseg.

Essa avaliação é possível pela importância da apólice, podendo oscilar de acordo com o salário dos funcionários. Deste modo, o condomínio pode contratar uma cobertura múltipla salarial, tendo como base somente o montante da folha de pagamento.
Esse tipo de condição é possível de ser exemplificada da seguinte maneira: Temos 5 funcionários em um Condomínio , no qual , cada um deles recebe em média um salário de R$ 700,00, portanto, esse valor será multiplicado por 12 vezes(multiplicado pelo número de funcionário (o exigido pelo sindicato)), gerando uma apólice com uma importância de R$ 42.000,00. Utilizando a taxa que exemplificamos acima (0,12% ao ano), o custo anual será de R$ 50,40 no ano.

Tais números indicam a importância de estar atento aos detalhes que fazem parte da contratação de um bom seguro. ?Achamos essencial os síndicos protegerem financeiramente seus condomínios e a si mesmo" Tendo como preocupação, seus empregados e respectivos dependentes, já que também é uma exigência feita pelo sindicato da categoria? diz Marcio Diniz / Plinio Spina


Fonte: www.edifisegseguros.com.br

Compartilhar
WhatsApp
LinkedIn

Conteúdos relacionados

Ranking do Mês

Usuários que mais respondem as perguntas

Pontuação
Entenda como funciona
Ranking geral

Faça suas cotações agora:

7.146 Compradores
14.703 Cotações
6.000 Fornecedores
Aviso importante:

As recomendações contidas nesta seção são realizadas pelos próprios usuários do Portal SíndicoNet, que não revisa nem controla as respostas apresentadas. Desta forma, o Portal SíndicoNet não assume nenhuma responsabilidade, a qualquer título, pela correção ou exatidão das respostas apresentadas, que são de responsabilidade exclusiva de seus autores. Neste sentido, o Portal SíndicoNet não se responsabiliza por nenhum dano, a qualquer título, decorrente da utilização das recomendações contidas nesta seção. Em caso de dúvidas, é indispensável a consulta a um advogado ou especialista.
Para saber mais, acesse nosso Regulamento de Uso.