Fraudes

Auditorias em condomínios

Como e quando podem ser úteis no combate a desvios e fraudes

Por Mariana Ribeiro Desimone

terça-feira, 24 de janeiro de 2012


Quando começam a acontecer muitas arrecadações extras, e o condomínio continua em mau estado de conservação, pedindo melhorias, ou o síndico ou a administradora nunca consegue prestar contas ao condomínio, sinal vermelho.

Pode ser que a arrecadação esteja tomando um rumo diferente do que deveria.

Por isso, conversamos com três especialistas em auditoria condominial: Valter Piovan, sócio da empresa Planners, Ivo Caetano de Lana, da Technoaudi, e a auditora independente Evelyn Reis.

Eles elencaram alguns pontos a serem observados para evitar que esse tipo de deslize ocorra e sugerem uma auditoria por ano no condomínio.

Como acompanhar as contas do condomínio

O primeiro passo para evitar fraudes na gestão condominial é uma boa prestação de contas. Essa deve ser feita mensalmente, pela administradora ou síndico, com os documentos originais de pagamento ou recebimento.

Tanto o conselho quanto os condôminos devem ficar atentos à prestação de contas: ela é a chave para saber como está a saúde financeira do condomínio.

Quando há alguma desconfiança na prestação de contas, uma dica é estudar cada nota fiscal, para saber se a documentação não é “fria”. Cheque o telefone e endereço das empresas citadas.

O ideal é que haja uma conferência mensal das contas do condomínio por parte do conselho, assim, evita-se que apenas uma vez por ano as contas sejam checadas.

Também é importante que os moradores acompanhem as contas mensalmente.

Vale lembrar que os condôminos têm direito de ver a pasta mensalmente, mas devem marcar um horário com o síndico, ou na administradora, para fazê-lo.

E os moradores não podem levar a documentação para a sua casa: o manuseio deve ser feito na frente do responsável.

Essa pasta é o demonstrativo financeiro do condomínio. Lá devem estar todos os lançamentos referentes às entradas e saídas do local.

Má gestão

Outro ponto que pode inspirar desconfiança dos condôminos é a presença de fornecedores que sejam muito próximos do síndico, ou de alguém da administradora, como familiares ou amigos próximos.

Não há problema em contratá-los, desde que tenham passado por concorrência com outras empresas e o serviço ou produto oferecido tenha qualidade e preço similar.

Há também casos em que o síndico, por falta de organização, preparo ou boa fé, mistura suas finanças com as do condomínio, e acaba utilizando o caixa para pagar suas despesas pessoais.

Ele pode acabar devolvendo a quantia que acredita estar devendo ao condomínio, porém, a situação gera constrangimento para todos os envolvidos. É importante que isso não aconteça, para mostrar lisura com as finanças do condomínio.

Apesar de não ser considerado tão grave quanto “roubar” dinheiro do condomínio, o síndico pode lesar as contas do local de outras formas, como fazendo acordos com inadimplentes com descontos. Saiba mais sobre acordos em condomínios

Também pode, por pressa, contratar sem urgência e sem concorrência um fornecedor com preço mais alto que o de mercado.

Ao contratar uma auditoria para o condomínio

Para contratar uma auditoria para o condomínio, o ideal é que o profissional seja um contador, com registro no CRC (Conselho Regional de Contabilidade).

Não é recomendado que a Administradora do condomínio se encarregue dessa tarefa, a auditoria deve ser sempre independente.

Veja aqui

Fraudes comuns em condomínios

O QUE FAZER QUANDO...

Serviço

Empresas de auditoria em condomínios (São Paulo)

- Empress de auditoria em condomínios (Rio de Janeiro)

Fontes consultadas - Valter Piovan, sócio da empresa Planners, Ivo Caetano de Lana, da Technoaudi, a auditora independente Evelyn Reis, Juraci Baena Garcia, da Villágua condomínios,Ricardo Azevedo Sette, da Azevedo Sette advogados, Silvio Kleber Pacheco da Svizzero Alves Auditoria e consultoria, e Mauricio Ferreira da Costa, do Indep