Freqüência
Ação (clique sobre os itens para ver detalhes)
Todo dia
Filtragem
A cada dois dias
Controle do cloro
Duas vezes por semana
Controle do pH
Uma vez por semana
Aspiração
Uma vez por semana
Algicida
Uma vez por semana
Limpeza das bordas
Uma vez por semana
Retrolavagem do filtro
Uma vez por semana
Algicida
Uma vez por semana
Controle da alcalinidade
Uma vez por mês
Supercloração
Quando necessário
Clarificação e decantação

Observação: Os dados fornecidos nesta página são genéricos e mais direcionados para o verão, quando as piscinas são mais usadas. Devem ser feitos ajustes na freqüência das ações, para mais ou menos, de acordo com as necessidades do condomínio. As informações aqui disponibilizadas servem apenas para consulta. Siga sempre as instruções de uso dos fabricantes.

 

Filtragem

  • todo dia
  • Duração: de 4 a 8 horas, de acordo com instruções do fabricante do filtro.
  • Nos dias em que forem realizadas ações de tratamento (cloração, controle do pH etc.), a filtragem deve ser feita em seguida (e não antes), para otimizar a limpeza.


Controle do cloro

  • a cada 2 dias
  • Aplicar à noite, para evitar a evaporação do cloro pelo sol.
  • Em piscinas de vinil ou fibra, diluir o cloro antes em um balde com água da piscina. Filtrar depois.
  • Na manhã seguinte à cloração, sempre verificar a proporção de cloro livre (através de kits de medição disponíveis no mercado). Ela deve estar entre 1 e 3 ppm (partes por milhão). Acima e abaixo destes níveis, o uso da piscina deve ser suspenso.
  • O cloro livre é o que ainda não reagiu com substâncias presentes na água e está disponível para combater substâncias que venham a aparecer. Portanto, ele é importante para criar uma barreira contra microorganismos que podem transmitir doenças. Mas em quantidades excessivas pode causar irritações nas mucosas dos banhistas
  •  Existem linhas de produtos para tratamento sem cloro.


Controle do pH

  • 2 vezes por semana
  • O pH da água deve ficar entre 7 e 7,4.
  • Existem produtos para medir o pH, geralmente na forma de fita de teste ou kit colorimétrico.
  • Para corrigir o pH, há os chamados Redutores (ou Sulfato de Alumínio) e os Elevadores de pH (ou Barrilha Leve). Após a operação, realizar filtragem.
  • Repetir o processo se não funcionar.
  • O pH fora do padrão (para cima ou para baixo) causa irritações nos olhos e pele dos banhistas, danifica o equipamento de filtragem e tira a eficiência do cloro.
  • O controle do pH deve ser feito antes de qualquer tratamento químico, exceto nos dias em que forem adicionados à agua produtos com hipoclorito de sódio, dicloros e tricloros.


Aspiração

  • 1 vez por semana)
  • Usar a opção "filtrar" quando houver pouca sujeira; para limpeza mais potente, selecione "drenar".
  • Não usar o cabo diretamente, sem algum acessório na ponta, para evitar danos no revestimento do fundo da piscina.

 

Limpeza das bordas

  • 1 vez por semana
  • Usar escovas de cerdas macias ou a parte macia de esponjas de cozinha.
  • Não usar palha de aço ou esponjas ásperas.
  • Usar produtos de limpeza que específicos para piscina ("limpa-bordas"), pois outros contaminam a água.
  • Nunca varrer a sujeira do chão próximo da piscina para dentro da água.


Retrolavagem do filtro

  • 1 vez por semana
  • Dura 5 minutos. Necessária para manter as boas qualidades do equipamento, livrando-o de resíduos filtrados. A água vai para o esgoto.
  • Após retrolavar, o processo de enxágüe deve ser feito durante 1 minuto para evitar que a água suja volte para a piscina.


Algicida

  • 1 vez por semana
  • É usado para eliminar algas. Não usar no mesmo dia da cloração.


Controle da alcalinidade

  • 1 vez por semana
  • Medir com fita de teste ou kit colorimétrico.
  • Deve ficar entre 80 e 120 ppm (partes por milhão
  • Para corrigir, usar "elevador de alcalinidade" e "redutor de pH"
  • O controle da alcalinidade é importante para manter o nível do pH estável
  • Alcalinidade fora dos padrões danifica o equipamento. Além disso, índices altos causam turbidez na água.


Supercloração

  • 1 vez por mês ou quando necessário
  • Necessária em períodos de muito uso da piscina, como no verão.
  • Também é interessante fazer após períodos de muita chuva, por causa do acréscimo de água não tratada, e de todas as impurezas que ela traz.
  • A piscina só deve voltar a ser usada quando o cloro livre voltar para os padrões usuais (1 a 3 ppm).

 

Clarificação

  • quando necessário
  • Realizar a operação após controle da alcalinidade e do pH.
  • Quando a água continua turva, deve-se fazer a clarificação. Durante a filtragem, adicione Clarificador (também é usado Cal Hidratado), que se combinará com as impurezas e se depositará no fundo da piscina.
  • Em casos mais críticos, será necessário aspirar o fundo. Se não houver muita sujeira acumulada, a própria filtragem elimina as impurezas depositadas pelo tratamento químico.

 

Cuidados necessários

  • Ao lidar com produtos químicos, sempre usar luvas e óculos de proteção.
  • Armazenar os produtos em local arejado e longe de crianças e animais domésticos.
  • Sempre respeite as dosagens recomendadas pelos fabricantes.
  • Muito cuidado com embalagens com vazamento. Retirar imediatamente do local. Não reaproveitar material que escapou da embalagem.
  • Alguns produtos químicos não devem ser misturados. Observe o tópico abaixo.

 

Mistura perigosa

  • Observe atentamente os ingredientes ativos do cloro usado, e das outras substâncias do tratamento químico da piscina.
  • Apesar da semelhança aos olhos, cloro com ingredientes ativos dicloro ou tricloro não pode ser misturados ao cloro que tem hipoclorito de sódio ou cálcio - em hipótese nenhuma. Quando entram em contato, estas substâncias provocam explosão, e liberam gases tóxicos que podem provocar queimaduras. Cuidado tanto na piscina quanto na armazenagem.
  • Do mesmo modo, o hipoclorito de cálcio não deve ser adicionado na piscina no mesmo dia que o redutor de pH, algicidas e estabilizadores.
  • Redutor de pH e algicida também não devem ser misturados com produtos que contêm dicloro e tricloro.

 

Bronzeador/ filtro solar

  • Afixar cartaz para os banhistas retirarem o excesso destes produtos antes de entrar na água.
  • Algumas marcas de filtro solar não saem na água; estas não têm problema para a piscina.
  • O bronzeador ou filtro solar presentes na água dificultam o tratamento químico.
  • Podem provocar incrustrações e corrosões no equipamento de filtragem.
  • Também podem provocar irritações alérgicas nos banhistas.

 

Cobertura para piscina

  • É interessante providenciar uma cobertura de lona ou outro material, para quando a piscina estiver fora de uso. Isso diminui drasticamente a perda de água por evaporação.
  • Como estas coberturas são presas à borda por pinos e cordas, também evitam a queda de crianças na água.
  • Não permitir acúmulo de água e sujeira em lonas de cobertura. Evitar também jogar este material na própria piscina.

 

Nunca abandonar a piscina

  • É muito perigoso deixar a piscina sem tratamento por mais de um mês. A água torna-se um foco de doenças inclusive para quem não entrar nela: a dengue, por exemplo, é transmitida por um mosquito que se reproduz em águas paradas. O equipamento de filtragem pode sofrer avarias, quanto mais tempo ficar inativo.
  • Mesmo em períodos de pouco uso, e inclusive quando a piscina tem cobertura de proteção, é preciso tratar a água e realizar filtragem. Nesses períodos, o que se pode fazer é diminuir a freqüência.
  • Nunca esvazie a piscina. Isso pode até comprometer sua estrutura. Se for absolutamente necessário realizar a operação, consulte o fabricante para fazê-lo de modo seguro.

 

Fontes consultadas


Página 1 de 6 Próxima Página