O seu navegador é muito antigo :-(

Dica: Troque para um navegador moderno para ter uma melhor experiência no SíndicoNet 😉

Saiba mais ×
Leis, normas e regras

Quando usar o elevador social e de serviço? Diferenças e funções

Tanto o elevador social e de serviço proporcionam eficiência no deslocamento em condomínios, garantindo mobilidade e conveniência para diferentes usos. Entenda!

28/02/24 04:41 - Atualizado há 3 meses
WhatsApp
LinkedIn
Hall de elevadores com portas cromadas de elevador social e de serviço, parede revestida de porcelanato cinza com placa indicativa do 5ª andar
Elevador social e de serviço têm diferentes destinações, por isso, seguir as regras de uso é essencial
Pixabay

Os elevadores são equipamentos essenciais do cotidiano de pessoas que moram ou trabalham em condomínios residenciais e comerciais. É importante ressaltar que, ao entrar em um prédio, muitas pessoas se deparam com a necessidade de escolha entre o elevador social e de serviço.

No entanto, nem todos estão cientes das diferenças fundamentais entre essas duas opções. Pensando nessa questão, neste artigo, entenderemos as principais diferenças entre o elevador social e de serviço, além de fornecer orientações sobre quando utilizar cada um. Continue a leitura!

O que é elevador social?

O elevador social se refere a um tipo específico de elevador em um edifício, projetado principalmente para transportar passageiros entre os diferentes andares. O equipamento preza pela boa estética e para o conforto dos usuários.

Este tipo de elevador é geralmente encontrado em prédios residenciais e comerciais, sendo destinado ao uso geral dos ocupantes do edifício.

É muito comum que os elevadores sociais fiquem posicionados em áreas mais visíveis e acessíveis do prédio, como o hall de entrada principal, por exemplo. Eles são frequentemente destinados a serem usados por moradores, funcionários, visitantes e e prestadores de serviço.

O que é elevador de serviço?

O elevador de serviço é um tipo específico, projetado para atender às necessidades de transporte de carga, mudanças, móveis, material de construção para reformas, entulho, lixo e outros que não se enquadram nas demandas mais adequadas ao elevador social.

Ao contrário do elevador social, destinado principalmente ao transporte de passageiros entre os diferentes andares de um condomínio, o de serviço é projetado para lidar com cargas mais pesadas e volume significativo.

Dessa forma, a estética não é seu foco principal, dispensando itens decorativos que podem ser prejudicados, mas sim sua capacidade de carregamento.

Recomenda-se também que banhistasanimais de estimação sejam transportados pelo elevador de serviço, pois podem molhar (no caso das pessoas), soltar pelos ou dejetos acidentalmente, e o equipamento tem a limpeza mais facilitada.

Em resumo, os elevadores de serviço são construídos com uma capacidade de carga substancialmente maior do que os elevadores sociais. Isso os torna adequados para transportar itens volumosos, mercadorias e móveis durante mudanças.

Qual a diferença entre elevador social e de serviço?

Como vimos anteriormente, a principal diferença entre o elevador social e de serviço está no propósito de cada um. Mas existem outros pontos de distinção entre eles, como já adiantamos nesta matéria. Vamos a elas?

1. Capacidade de transporte

Uma delas é a capacidade, que acaba sendo maior no elevador de serviço, já que é muito utilizado para o carregamento de móveis, materiais de construção, entulho entre outros.

2. Design da cabina

O design também é uma questão relevante, pois no elevador social há a preocupação em ter um modelo com estética mais elegante, com elementos mais nobres, como espelhos, madeira, iluminação diferenciada, valorizando o ambiente e tornando a viagem mais agradável e confortável.

Já no elevador de serviço, o primordial é contar com uma estrutura para carga.

Quais as normas e regras do elevador social e de serviço? 4 orientações

Esclarecidas as finalidades específicas atribuídas aos elevadores sociais e de serviço, agora vamos às regras de uso.

1. Tipo de transporte de acordo com a finalidade do equipamento

Uma norma geralmente adotada em condomínios estabelece que os elevadores sociais são designados para o transporte de pessoas, enquanto os elevadores de serviço são destinados ao transporte de cargas, animais de estimação e banhistas.

Não há distinção no uso do elevador social entre moradores, funcionários e prestadores de serviço.

2. Transporte de crianças 

Uma regra de segurança primordial é que crianças com menos de 10 anos devem estar sempre acompanhadas por um responsável ao utilizar o elevador.

Isso se deve, principalmente, ao fato de que, em situações de travamentos ou falhas no equipamento, elas podem não ter a habilidade ou a calma necessária para lidar com esses problemas.

Além do risco de brincadeiras inapropriadas que podem colocá-las em situação de risco, como apertar diversos botões, inclusive alarme e abertura de porta.

3. Acionamento de um elevador por vez

Uma recomendação a todos os usuários é evitar chamar dois ou mais elevadores ao mesmo tempo. Isso previne que todos os elevadores se dirijam e fiquem parados no mesmo andar, prejudicando a mobilidade dos demais.

4. Respeito ao limite de peso do elevador

Uma regra importante é sobre a carga máxima permitida nos elevadores. É imprescindível respeitar o limite de carregamento de peso tanto no elevador social quanto no de serviço.

Isso reduzirá as chances de problemas com a segurança do equipamento, travamentos e paradas e deixar pessoas presas necessitando de resgate por um técnico capacitado da empresa de manutenção.

O que a lei impede em elevadores de condomínio?

As leis relacionadas aos elevadores em condomínios podem variar conforme a legislação local, pois cada região pode ter regulamentações específicas. Em São Paulo, por exemplo, há a Lei 11.995 Art. 1, que veda qualquer tipo de discriminação em relação ao uso do elevador social.

Mas é importante ressaltar que algumas proibições e restrições geralmente se aplicam aos elevadores de condomínio, independente de legislação, mais relacionadas às normas de uso do equipamento e a boas práticas, tais como:

  • Sobrecarga: é proibido exceder a capacidade máxima de carga do elevador, conforme especificado nas normas de segurança. Isso é crucial para garantir a segurança dos ocupantes e o funcionamento adequado do equipamento.
  • Uso indevido: o uso inadequado do elevador, como pular, balançar ou realizar atividades que comprometam a segurança, é proibido. Essas atitudes devem ser evitadas com o intuito de preservar a integridade de todos os ocupantes e do equipamento.
  • Dano ou vandalismo: qualquer forma de dano ou vandalismo ao elevador é proibida. Isso inclui pichações, depredações, ou qualquer ação que comprometa a integridade e funcionamento do mesmo.
  • Prioridade a serviço de emergência: é proibido obstruir ou impedir o acesso aos elevadores por parte dos serviços de emergência. Isso pode incluir o uso inadequado de botões de chamada de emergência.
  • Não cumprir normas de acessibilidade: a acessibilidade está prevista na Lei Brasileira de Inclusão. No caso de elevadores, inclui a instalação de recursos como botões de chamada acessíveis, identificação em libras, informação em áudio, barra e espaço suficiente para cadeiras de rodas.

8 cuidados dos moradores no uso dos elevadores

Seja no uso de um elevador social ou de serviço, é muito importante que os moradores entendam sua responsabilidade e tenham alguns cuidados para usar o equipamento com segurança. Pensando nisso, com base nesta matéria, consolidamos abaixo 8 dicas de como fazer isso:

1. Respeito à capacidade de carga

Todo e qualquer elevador conta com um limite de carga a ser transportado. Por isso, é imprescindível respeitar essa regra para evitar sobrecarregá-lo. Esse tipo de ação permite que você não comprometa a segurança e nem o funcionamento do equipamento. E mais importante: te previne de ficar preso na cabine e tenha que aguardar o resgate.

2. Faça o uso adequado

É importante utilizar os elevadores social e de serviço para sua finalidade principal: transporte de pessoas e cargas. Evite atividades que comprometam a segurança, como pular, balançar ou demais brincadeiras desnecessárias e perigosas.

3. Atente-se às portas e ao nivelamento do elevador no andar

Antes de entrar ou sair do elevador, tenha certeza de que as portas estão totalmente abertas. Evite ao máximo forçá-las, pois isso pode causar o travamento do equipamento e risco de queda.

Outro cuidado essencial: antes de entrar, certifique-se de que o elevador de fato está no andar. Infelizmente equipamentos estão sujeitos a panes técnicas e acidentes podem ocorrer por falta não só de manutenção, mas de atenção do usuário também.

4. Use os botões com cuidado

Muitas pessoas, quando estão sem paciência, acabam pressionando os botões do elevador com mais força. Esse tipo de atitude pode danificar o equipamento, fazendo com que seja necessária manutenção extra ou troca por novos botões, que não são baratos.

Em caso de falhas ou paradas inesperadas, mantenha a calma. Utilize o botão de chamada de emergência ou interfone para solicitar assistência com parcimônia.

5. Espera segura

É importante manter uma distância segura da porta enquanto espera o elevador. Não force a abertura das portas com objetos ou partes do corpo. Aguarde o tempo correto e tenha um transporte seguro e sem intercorrências.

6. Acessibilidade

Caso esteja aguardando a chegada de um elevador, dê prioridade a idosos, gestantes, pessoas com mobilidade reduzida e portadores de deficiência. Ceda o lugar para essas pessoas quando estiver utilizando o equipamento.

7. Transporte de animais de estimação

Caso esteja acompanhado por animais de estimação, certifique-se de que estão sob controle e, de preferência, utilize o elevador de serviço. Fique atento às regras do seu condomínio e como elas se aplicam ao transporte de animais.

8. Ficou preso? Não se desespere!

Se acontecer de você ficar preso, mantenha a calma e aguarde o resgate. Não adianta de nada deixar o desespero tomar conta. Respire fundo e aperte o botão de emergência e o interfone e solicite ajuda.

O resgate só deve ser feito por profissional qualificado da empresa de manutenção ou conservação contratada pelo seu condomínio. Nada de pedir ao zelador, porteiro ou outro funcionário para abrir o elevador para você. Essa atitude é imprudente e pode causar acidentes gravíssimos e até morte. 

As empresas costumam ter cláusula de resgate de pessoas presas em até 30 ou 40 minutos.  

Em resumo, ao adotar esses cuidados e seguir as orientações específicas do condomínio, você contribui para a segurança coletiva e o bom funcionamento dos elevadores, promovendo uma experiência tranquila para todos.

Gostou do conteúdo? Então aproveite para conferir as regras em condomínio sobre objetos no corredor: o que pode e o que não pode.

Conteúdo SíndicoNet

Web Stories

Ver mais

Newsletter

Captcha obrigatório

Confirmar e-mail

Uma mensagem de confirmação foi enviada para seu e-mail cadastrado. Acesse sua conta de email e clique no botão para validar o acesso.

Esta é uma medida para termos certeza que ninguém está utilizando seu endereço de email sem o seu conhecimento.
Ao informar os seus dados, você confirma que está de acordo com a Política de Privacidade e com os Termos de Uso do Síndico.
Aviso importante:

O portal SíndicoNet é apenas uma plataforma de aproximação, e não oferece quaisquer garantias, implícitas ou explicitas, sobre os produtos e serviços disponibilizados nesta seção. Assim, o portal SíndicoNet não se responsabiliza, a qualquer título, pelos serviços ou produtos comercializados pelos fornecedores listados nesta seção, sendo sua contratação por conta e risco do usuário, que fica ciente que todos os eventuais danos ou prejuízos, de qualquer natureza, que possam decorrer da contratação/aquisição dos serviços e produtos listados nesta seção são de responsabilidade exclusiva do fornecedor contratado, sem qualquer solidariedade ou subsidiariedade do Portal SíndicoNet.
Para saber mais, acesse nosso Regulamento de Uso.

Não encontrei o que procurava Quero anunciar no SíndicoNet