O seu navegador é muito antigo :-(

Dica: Troque gratuitamente para um navegador mais atual para ter uma melhor experiência no SíndicoNet ;-)

Escolha um navegador ×
Administração

Aluguel

Antecipar valor aos proprietários é arriscado. Entenda

quarta-feira, 26 de junho de 2019
WhatsApp
LinkedIn

Cuidados evitam que antecipação de valor por imobiliária configure sonegação

Para fisgar clientes, imobiliárias em Belo Horizonte adotam estratégias cada vez mais agressivas para atrair inquilinos e donos de imóveis. Uma delas é antecipar o valor dos aluguéis aos proprietários. No entanto, analistas afirmam que é necessário ler bem o contrato e, se possível, consultar um especialista para não correr o risco de cometer sonegação fiscal. Isso porque dezenas de imobiliárias oferecem a antecipação do aluguel por meio de um contrato que, na prática, trata-se de empréstimo via instituição financeira.

Para fugir da dor de cabeça, o caminho é analisar em que condições a antecipação será feita e comunicada à Receita Federal. 

Analista de negócios da Bold Finance, especializada nessa modalidade de empréstimo, Guilherme Miranda diz que os impostos referentes aos aluguéis precisam ser pagos e declarados, mas não pelo proprietário do imóvel (pessoa física), e sim pela financeira, dentro do regime de tributação referente à empresa. 

Segundo Miranda, nenhum cliente atendido pela firma onde ele trabalha caiu na malha fina. Cerca de 20 imobiliárias oferecem a antecipação de valores a locadores por meio de parceria com a Bold Finance. 

Miranda explica que os juros variam de acordo com o perfil do locador, do imóvel e do contrato. Segundo ele, uma das vantagens em se fazer a antecipação do valor é que, ao vender o crédito para uma financeira, o dono não declara mais o recebimento do valor de aluguel como ganho no Imposto de Renda. Com a mudança na renda total declarada, varia-se também o imposto a ser pago.

Pelo site da financeira é possível fazer simulações. A reportagem simulou opções de antecipação de valor para uma pessoa com salário de R$ 5 mil e que recebe R$ 1.600 líquidos de aluguel (considerando o desconto da taxa de administração) em um contrato de 36 meses.

Para seis meses de aluguel, que totalizam R$ 9.600, a financeira enviou uma proposta de antecipação de R$ 7.440. A diferença de R$ 2.160, segundo o analista, pode ser “compensada” com um pagamento menor de IR, já que os valores não são mais contabilizados como renda. 

Para Flávia Vieira, diretora da Orcasa Netimóveis, a parceria é uma boa para as imobiliárias que não têm capacidade técnica para trabalhar com empréstimos. “Eu alugo imóveis, administro contratos de locação, recebo valores e repasso aos proprietários. Mas para fazer adiantamento de aluguel, não temos competência técnica”.

No entanto, o advogado Claudinei José de Souza, da comissão de Direito Tributário da OAB/MG, alerta que empresas e donos de imóveis devem se atentar às leis. Para ele, este tipo de contrato é de empréstimo. Não de adiantamento de aluguel.

"No contrato de empréstimo, não há declaração do IR. Já no contrato de locação, quem o recebe precisa declará-lo. Se a pessoa recebe seis meses de aluguel antecipadamente, via financeira, isso não é antecipação de aluguel, é empréstimo, no qual a financeira está se apropriando dos juros. Precisa ficar claro no contrato.

Se estiver mal orientado (e não declarar o aluguel recebido), entendo que é uma espécie de sonegação fiscal”, disse.

O também advogado tributarista Guilherme de Almeida Henriques endossa que a Receita deve “ser informada que houve recebimento de aluguel”: “Se aquele valor foi usado para pagar uma dívida, ele foi usado pelo dono do imóvel e deve ser declarado como rendimento tributável, para não ter risco de ser acionado pela Receita”.

O valor médio dos aluguéis em BH subiu 11% de 2017 para 2018, de R$ 1.350 para R$ 1.500, no melhor resultado desde 2015. O avanço animou o mercado imobiliário, que vinha penando com números em baixa, e o deixou ainda mais acirrado, atraindo até aplicativos, como o QuintoAndar, que chega com a promessa de revolucionar o setor. 

Fonte: www.hojeemdia.com.br

Aviso importante:

O conteúdo exibido nesta seção é gratuito, e apresenta caráter meramente informativo. O Portal SíndicoNet não se responsabiliza pelo conteúdo, nem pelas decisões baseadas nas opiniões e recomendações contidas nesta seção. Assim, o Portal SíndicoNet se exime de qualquer responsabilidade pelos eventuais danos ou prejuízos, de qualquer natureza, que possam decorrer da utilização deste conteúdo, por qualquer meio ou processo, e para quaisquer fins. Em caso de dúvidas, é indispensável a consulta a um advogado ou especialista.
Para saber mais, acesse nosso Regulamento de Uso.

Depoimentos

próximo
Receba nossos Boletins

Mantenha-se Informado com as últimas notícias da área em seu email:

{{errorMessage}}

Assinatura efetuada com sucesso!

carregando...