O seu navegador é muito antigo :-(

Dica: Troque gratuitamente para um navegador mais atual para ter uma melhor experiência no SíndicoNet ;-)

Escolha um navegador ×
Convivência

Briga de titãs

Juiz e delegado discutem devido a estacionamento, em Campo Grande

Publicado em: quinta-feira, 5 de junho de 2014

Juiz diz que foi vítima de "agressão covarde" de delegado

Autoridades se desentenderam em Cuiabá, por causa de entrada de veículo Uma grande discussão envolvendo um juiz e um delegado da Polícia Civil terminou em registros de ocorrência na Delegacia de Polícia e denuncia de crime de preconceito. O delegado de Mato Grosso, Gustavo Garcia Francisco e o juiz Alexandre Pampado, da Comarca de Campo Novo do Parecis, quase entraram em 'vias de fato' na manhã de sábado (30), em frente ao condomínio de luxo, Bonavita, instalado no bairro Bosque da Saúde, em Cuiabá. Toda a confusão começou - de acordo com o registro do Boletim de Ocorrência - em razão do estacionamento do carro do magistrado, um carro do magistrado, um Cruze Hatch, em frente ao portão do condomínio, o que prejudicava o acesso dos moradores.

"Na discussão ocorrida, na entrada do condomínio, os delegados chegaram ao local de forma agressiva. O juiz se apresentou como magistrado, o que não evitou as agressões físicas contra ele"

Em entrevista à reportagem do site Olhar Direto, o delegado Gustavo Francisco relatou que havia saído de um plantão de 24h e que retornava para sua casa onde seu filho, de dois anos, e esposa estava o esperando para o café da manhã. Ao chegar à entrada do residencial ele se deparou com um veículo. Com a passagem restrita, o delegado aponta que se deparou com o zelador do prédio e o juiz Alexandre Pampado discutindo. Segundo o delegado, o juiz teria ido ao prédio para fazer a vistoria de um apartamento. Porém, por ainda não ser morador do condomínio sua entrada deveria ser acompanhada de um corretor e, por esta razão, sua entrada não era permitida no local. Ainda conforme o delegado, diante da situação, ele propôs ao juiz que entrasse no condomínio como seu convidado. Entretanto, o magistrado teria recusado o convite e se negado a retirar seu carro da entrada do condomínio, dando início assim a uma discussão entre delegado e o juiz. De acordo com Gustavo, sem um acordo para a retira do veículo os ânimos se exaltaram e ele imobilizou o juiz para tomar a chave do veículo. Ele nega que tenha agredido o magistrado que é acusado ainda de agredir verbalmente o zelador do prédio.

Testemunhas relataram formalmente à polícia, que o juiz teria dito palavras de baixo calão contra o trabalhador dentre elas chamado de “negão” e ainda questionado sobre “como uma pessoa de cor conseguiria resolver as coisas”. O trabalhador também foi ouvido formalmente e confirmou as agressões.

Tensão Por meio de nota encaminhada para o Olhar Direto pela Associação dos Magistrados Mato-grossense (AMAM), o juiz Alexandre Pampado declarou que “não houve por parte dele nenhum distrato dirigido a qualquer funcionário do condomínio, apesar da reconhecida tensão em que se encontrava”. Ele confirmou que o incidente ocorreu devido a não autorização de seu acesso, que é condômino do edifício, ao apartamento de sua propriedade. Ainda conforme a nota, o magistrado apontada que um segundo delegado de polícia, também se envolveu na confusão. Diz trecho do documento “na discussão ocorrida, na entrada do condomínio, os delegados chegaram ao local de forma agressiva. O juiz se apresentou como magistrado, o que não evitou as agressões físicas contra ele”. Em nota, o juiz Alexandre Pampado lamenta profundamente a ocorrência, considerada por ele descabida entre quaisquer cidadãos, ainda mais entre autoridades públicas. Ele ressalta “que foi vítima de uma agressão covarde, o que será comprovado em processos competentes”. O delegado foi denunciado à Corregedoria da Polícia Civil.

Fonte: http://www.midianews.com.br/

Aviso importante:

O conteúdo exibido nesta seção é gratuito, e apresenta caráter meramente informativo. O Portal SíndicoNet não se responsabiliza pelo conteúdo, nem pelas decisões baseadas nas opiniões e recomendações contidas nesta seção. Assim, o Portal SíndicoNet se exime de qualquer responsabilidade pelos eventuais danos ou prejuízos, de qualquer natureza, que possam decorrer da utilização deste conteúdo, por qualquer meio ou processo, e para quaisquer fins. Em caso de dúvidas, é indispensável a consulta a um advogado ou especialista.
Para saber mais, acesse nosso Regulamento de Uso.

Depoimentos

próximo
Receba nossos Boletins

Mantenha-se Informado com as últimas notícias da área em seu email:

{{errorMessage}}

Assinatura efetuada com sucesso!

carregando...