O seu navegador é muito antigo :-(

Dica: Troque gratuitamente para um navegador mais atual para ter uma melhor experiência no SíndicoNet ;-)

Escolha um navegador ×
Mercado

Classe média

Itens de alto padrão têm figurado em empreendimentos econômicos

Publicado em: terça-feira, 28 de agosto de 2012

Classe média ascendente exige lazer e conforto por baixo preço

Antes presa ao aluguel, a classe média ascendente hoje tem mais poder de compra no mercado imobiliário graças a fatores como o barateamento do crédito e o aumento de renda da população brasileira. E, nem de longe, esses consumidores se contentam com pouco.

Os itens de lazer, tradicionalmente peças de edifícios residenciais de padrão um pouco mais elevado, têm figurado em condomínios da linha econômica.

“Essa classe média deseja ter qualidade de vida”, diz o diretor comercial e de marketing da MZM Construtora, Helio Korehisa.

A empresa acaba de realizar uma pesquisa sobre suas ofertas online de imóveis e constatou que 719 entre mil visitas foram motivadas pelos itens de conforto e lazer dos lançamentos.

Como o preço final dos imóveis não pode estar fora do orçamento familiar dos compradores, a MZM procura adotar medidas para controlar os custos finais dos produtos. A principal estratégia é oferecer condomínios-clube com variadas torres e muitas unidades em cidades vizinhas a São Paulo.

O grande adensamento permite que a taxa condominial, dividida por todos os proprietários, não fique com valores altos demais. A localização também seria uma vantagem, porque o preço do metro quadrado fora da capital é, em geral, mais baixo. Em Santo André, por exemplo, a área útil dos lançamentos deste ano custa R$ 4.792 frente a R$ 7.037 cobrados nos empreendimentos paulistanos.

A MZM prepara para outubro, em Diadema, o lançamento do Residencial Conquista Alda, com três torres. O conjunto terá mais de 20 opções de lazer e 348 unidades ao todo, todas variando de 59,3 m² a 67,3 m².

Na capital, os imóveis de padrão médio mais econômico podem ser encontrados em bairros em desenvolvimento e, na maioria das vezes, com metragens reduzidas. No bairro de Pirituba, a incorporadora You, Inc deve lançar, no início de setembro, o residencial You Parque São Domingos, que terá unidades a partir 57,3 m² ao custo estimado de aproximadamente R$ 295 mil.

“Percebemos que o consumidor se encanta, porque vê que há varandinha e lazer completo. A região tem prédios mais simples”, diz o gerente de vendas da companhia. Daniel Berettini.

Outras empresas, como a Requadra Desenvolvimento Imobiliário, investem em bairros em recuperação na área central de São Paulo. Este mês, ela lançou o Sampa, no Brás, com unidades de 32 m² a 52 m².

“O público que compra o primeiro imóvel quer que ele seja o mais perfeito possível. Um dos reflexos disso é a arquitetura. Os apartamentos têm cozinha integrada e churrasqueira no terraço”, diz o diretor comercial da Requadra, Marcos França.

No momento da venda, imobiliárias e empresas de marketing especializado valorizam os aspectos mais marcantes dos produtos, sem descuidar da sofisticação. “Nos decorados dos empreendimentos econômicos, usamos os mesmos decoradores de apartamentos de alto padrão. Essas pessoas são exigentes e não querem ver móveis que não são de desejo”, diz a diretora de marketing da Abyara Brasil Brokers, Paola Almabert.

O casal Fernando e Carolina Marinello compraram em março um apartamento de 47 metros quadrados no Jaraguá. “A única coisa que ele não tem é piscina. Há playground, salão de festas, salão de jogos”, conta Fernando, que considera a localização um diferencial – o prédio ficará próximo a uma estação de trem. Eles deixarão o aluguel quando o edifício estiver pronto, o que está previsto para 2014.

Ascensão

Segundo o presidente da Eugênio Marketing Imobiliário, Carlos Valladão, a exigência tende a crescer com o aumento da condição financeira do consumidor. “Se ele mora em casa própria, vai buscar uma localização que represente ascensão: próxima ao trabalho, ao metrô ou a uma área de lazer.”

O desejo de viver com mais conforto foi decisivo para que a arquiteta Patrícia Dada, de 27 anos, adquirisse sua segunda unidade, com três dormitórios em São Caetano do Sul. “A localidade pesou na nossa decisão, porque é uma cidade melhor”, disse Patrícia, que mora em Santo André. Com casamento marcado para sábado, ela também se prepara para o possível crescimento da sua futura família.

Fonte: http://blogs.estadao.com.br

Aviso importante:

O conteúdo exibido nesta seção é gratuito, e apresenta caráter meramente informativo. O Portal SíndicoNet não se responsabiliza pelo conteúdo, nem pelas decisões baseadas nas opiniões e recomendações contidas nesta seção. Assim, o Portal SíndicoNet se exime de qualquer responsabilidade pelos eventuais danos ou prejuízos, de qualquer natureza, que possam decorrer da utilização deste conteúdo, por qualquer meio ou processo, e para quaisquer fins. Em caso de dúvidas, é indispensável a consulta a um advogado ou especialista.
Para saber mais, acesse nosso Regulamento de Uso.

Depoimentos

próximo
Receba nossos Boletins

Mantenha-se Informado com as últimas notícias da área em seu email:

{{errorMessage}}

Assinatura efetuada com sucesso!

carregando...