O seu navegador é muito antigo :-(

Dica: Troque para um navegador moderno para ter uma melhor experiência no SíndicoNet 😉

Saiba mais ×
Cadastrar
Entrar
Cotar Pedir orçamentos
Seja um fornecedor
menu
Convivência

Confusão com Dudu

Jogador do Palmeiras briga em prédio com a ex-mulher

quinta-feira, 25 de junho de 2020
WhatsApp
LinkedIn

O que Dudu explica para defender inocência na confusão em prédio de esposa

Acusado de agressão pela esposa e envolto em uma investigação que corre na 9ª Delegacia de Defesa da Mulher (DDM) de São Paulo, o atacante do Palmeiras Dudu tenta se defender no caso. Após ver as manchetes da última terça-feira (23) estamparem o Boletim de Ocorrência feito por Mallu Ohanna Neves Rodrigues, o jogador defende em depoimentos a autoridades e conversas com pessoas próximas ser inocente no caso. 

Em conversas com envolvidos de todas as partes (Dudu, sua esposa, Polícia Civil e pessoas que passavam pela região e viram a briga) no caso e após entrevistar Mallu, o UOL reuniu informações para explicar a argumentação do atleta para sustentar sua versão.

Como Dudu explica o início da confusão

De acordo com palavras do jogador à Polícia em depoimento que durou mais de três horas, a confusão começou quando ele chegou ao apartamento de Mallu na região do Jardim das Perdizes por volta das 19h da última segunda (22) para entregar um computador ao filho mais novo, Pedro. Cabe ressaltar que, ainda sem resolver trâmites burocráticos e sem assinar a separação, ambos não moram mais juntos há alguns meses.

Quando se encontraram na garagem do prédio, Dudu disse ter ouvido cobranças da ex-companheira pelo fato de ter juntado sua atual namorada aos filhos na visita de ambos ao atual apartamento do jogador no último final de semana. Em um áudio obtido pela reportagem da discussão na parte de fora, é possível ver Mallu reclamando da situação. "Desgraçado. Falei que não era para misturar meus filhos com mulher", gritou ela.

"Ele me bateu dentro do carro. Vou acabar com a sua vida, igual você acabou com a minha", completou Mallu. Michele, amiga da mulher, tenta acalmá-la. "Vem cá, Mallu. Chega. Para com isso. Deixa ele descer do carro", mostra o áudio.

Briga segue do lado de fora

Segundo Dudu, a amiga Michele, inclusive, foi chamada por ele para acalmar a situação na garagem. Sem sucesso, a confusão seguiu para fora do prédio - como mostram imagem obtidas e publicadas pelo UOL na noite de terça-feira.

É justamente nessas imagens que Dudu baseia parte da sua defesa. O jogador se apresentou à 9ª DDM ainda na manhã de terça. Após burocracias antes de ser ouvido, informou que a região da confusão tinha câmeras e poderia provar sua dita inocência.

Escrivãs e outros policiais envolvidos nos trabalhos do dia relataram que o atleta palmeirense demonstrou tranquilidade durante as quase sete horas que permaneceu no local.

Vídeo em garagem vira incógnita. Investigação ouvirá testemunhas

Procurada pelo UOL para explicar as imagens que mostravam alguns empurrões seus no atleta, Mallu deu sua versão. "Esses são os vídeos do lado de fora. Eu tento pegar o celular. Nos empurramos. Quando entro no carro, ele puxa meu cabelo, me agride. E o assessor dele, o Thiago, me puxa forte pelo ombro para que eu não entrasse. Me machuca. Está doendo até agora. Quero saber por que ele não entregou os vídeos de dentro da garagem. Mas eu vou entregar aqui. Me agride ainda mais", afirma a esposa.

A declaração chamou a atenção dos envolvidos na investigação, uma vez que nenhuma gravação na garagem do prédio foi identificada ou apresentada na delegacia. Dudu, por sua vez, reforçou que não agrediu a moça no local.

Diante de um impasse nas versões, os policiais querem ouvir testemunhas nos próximos dias para esclarecer o caso. A expectativa é por oitivas com seguranças e porteiros que presenciaram a cena no prédio onde Mallu mora.

Brigas antigas

A briga da noite de segunda-feira não foi a primeira dos pais de Cauê e Pedro. Marcada por traições e filho fora do casamento, a relação de quase 11 anos entre Mallu e Dudu se deteriorou nos últimos cinco. O jogador, inclusive, não nega o desgaste a todos que o abordam sobre o caso, mas se defendeu dizendo que o Boletim de Ocorrência desta semana não fazia sentido.

Mallu contesta. Ela reforça o casamento complicado e a mais recente briga. "Sempre foi assim. E ontem [segunda] de novo. Ele chegou alterado e me agrediu. É um ótimo jogador dentro de campo, fora dali ele não é bom", acusou, completando em seguida. "Mas é um bom pai, sim".

"Fiquei sabendo hoje do que ela estava me acusando, falei com meu advogado e nós viemos até a delegacia por vontade própria nossa. Eu apresentei minha versão do que aconteceu, o delegado escutou, o escrivão escutou. Não teve agressão", afirmou Dudu em entrevista à Band ao deixar a delegacia.

Boletim de Ocorrência: a versão de Mallu

"Comparece a essa unidade especializada a vítima noticiando que é casada com o autor por 11 anos, tendo dessa união 2 filhos [...] Refere que o relacionamento, após 5 anos, passou a ser conturbado, fato que as discussões passaram a ser mais frequentes, e em que pese o comportamento agressivo tornou-se rotina, inclusive em locais frequentados por familiares e até mesmo entre amigos. Relata a vítima que as agressões, mesmo que ocasionais, já vinham ocorrendo até mesmo em público." "Relata que, na data dos fatos, encontrava-se em sua residência, quando o autor a contatou via telefone para que a vítima fosse até a garagem. Logo a vítima direcionou-se até o referido local do condomínio residencial indo de encontro ao autor para buscar o desktop para o filho mais novo do casal. A seguir, afirma a vítima, que ao se deparar com o seu companheiro, percebeu que o mesmo estaria demonstrando estranheza. Imediatamente, a vítima, preocupada, perguntou o que estaria acontecendo. Contudo, momentaneamente, o autor passou a tratá-la rispidamente, com muita ignorância, passando a agredi-la com socos na cabeça, na região do peito. Chegou, inclusive, a puxar os seus cabelos. Contudo, a mesma conseguiu se desvencilhar, defendendo-se. Outrossim, o autor, não se dando por satisfeito, continuou com a discussão, perdurando-se por mais um tempo no mesmo ambiente, fato que, terceiros sendo esses funcionários da vítima e também do próprio autor, tiveram que intervir para cessar os ânimos do casal".

Fonte: https://www.uol.com.br/

Aviso importante:

O conteúdo exibido nesta seção é gratuito, e apresenta caráter meramente informativo. O Portal SíndicoNet não se responsabiliza pelo conteúdo, nem pelas decisões baseadas nas opiniões e recomendações contidas nesta seção. Assim, o Portal SíndicoNet se exime de qualquer responsabilidade pelos eventuais danos ou prejuízos, de qualquer natureza, que possam decorrer da utilização deste conteúdo, por qualquer meio ou processo, e para quaisquer fins. Em caso de dúvidas, é indispensável a consulta a um advogado ou especialista.
Para saber mais, acesse nosso Regulamento de Uso.

Depoimentos

próximo
Receba nossos Boletins

Mantenha-se Informado com as últimas notícias da área em seu email:

{{errorMessage}}

Assinatura efetuada com sucesso!

carregando...