O seu navegador é muito antigo :-(

Dica: Troque gratuitamente para um navegador mais atual para ter uma melhor experiência no SíndicoNet ;-)

Escolha um navegador ×
Administração

Fogo em Brasília

Extintores não funcionam em condomínio, mesmo dentro da validade

Publicado em: segunda-feira, 4 de janeiro de 2016

Em restaurante no SIG, extintor de incêndio não funcionou. Bombeiros apuram caso

O incêndio teria começado após esquecerem a fritadeira elétrica ligada na tomada
 
Um princípio de incêndio ocorrido na cozinha de um  restaurante no Setor de Indústrias Gráficas (SIG) reacendeu um alerta entre os comerciantes da região: a necessidade de vistoriar frequentemente o sistema de combate a incêndios. Mesmo com diversos extintores no condomínio, o Centro Empresarial Barão de Mauá, na Quadra 4, nenhum deles teria funcionado e foi necessário utilizar os equipamentos de um prédio vizinho.
 
O incidente ocorreu há cerca de uma semana. De acordo com Dener Navarro, funcionário do restaurante Mango, os sprinklers (chuveiros automáticos de extinção de incêndio) chegaram a funcionar, mas a água atingiu a rede elétrica e causou um curto-circuito, o que aumentou as chamas.
 
“Quando o fogo aumentou, os sprinklers pararam de funcionar. Com isso,  tentamos usar os extintores do prédio, mas nenhum   funcionou, mesmo estando dentro do prazo de validade. Fomos obrigados a pedir emprestado no condomínio vizinho, até que o Corpo de Bombeiros chegou e finalizou o combate à fumaça”, relatou. 
 
O incêndio teria começado após esquecerem a fritadeira elétrica ligada na tomada. Segundo Navarro, mais de dez extintores  foram acionados, mas todos falharam. Depois de controlada a fumaça, os bombeiros chegaram a testar quatro deles, que também não funcionaram. Com isso, a corporação levou os equipamentos para serem periciados. O laudo  deve ficar pronto em   30 dias. 
 
Os extintores estavam dentro do prazo de validade e haviam sido recarregados recentemente pela empresa que presta serviços ao condomínio. Apesar disso, o  funcionário do restaurante reclama da falta de manutenção da rede de combate a incêndios.
 
“Se  estivesse funcionando de verdade, as chamas teriam sido controladas rapidamente. O técnico que veio arrumar a rede constatou que estava fora dos padrões de adequação, e até mesmo a bomba de pressurização do ar deu curto. Isso é um perigo para todo mundo”, afirmou Dener. 
 

Administração garante vistorias

A administração do condomínio Barão de Mauá informou que paga uma empresa especializada para  a manutenção da rede de combate a incêndios e que, mensalmente, técnicos fazem vistorias preventivas e corretivas. 
 
Ainda de acordo com a gestão do espaço, o sistema de combate a incêndios estava funcionando normalmente, seguindo as normas de segurança, e foi prejudicado após o incêndio no restaurante.
 

À espera do laudo

A administração ressalta que   somente após o laudo técnico emitido pelo Corpo de Bombeiros  será possível saber o motivo das falhas dos extintores. Além disso, o condomínio assegurou que segue todas as recomendações e normas técnicas para manter a segurança do local e evitar qualquer tipo de acidente, inclusive incêndios. 
 
Credenciada pelo CBMDF, a empresa de extintores   disponibilizou novos equipamentos ao edifício e   repara  toda a rede de combate a incêndio do prédio.
 

Comprovação de erro implica em punição

De acordo com o Corpo de Bombeiros, a falha de extintores não é algo comum.
 
“Às vezes ocorre, mas não é algo constante. Quando isso acontece, o procedimento que tomamos é levar para o laboratório e fazer uma perícia para constatar o motivo de o extintor não funcionar”, explicou o chefe da Diretoria de Vistoria do CBMDF, coronel Vicente Tomaz.
 
Segundo ele, são inúmeros fatores que podem prejudicar o funcionamento do extintor, como pó ou técnica de recarga, entre outros. “Se for comprovada falha da empresa, ela perde o credenciamento emitido pelo Corpo de Bombeiros  e pode responder judicialmente”, destaca. 
 
Tomaz explica que a responsabilidade pela manutenção de rede de combate a  incêndios é do condomínio, e que o Corpo de Bombeiros somente fiscaliza. “O correto é contratar uma empresa ou profissional para fazer a manutenção predial com frequência. É preciso vistoriar tudo, não só a parte de combate a incêndios, mas também a hidráulica e elétrica. O aconselhável são revisões periódicas mensais”, indica o militar. 
 
O coronel destaca ainda a importância de fazer testes de incêndio e analisar bombas para ter certeza de que o sistema está funcionando corretamente.

Saiba mais

É necessário que os condôminos conheçam os locais onde estão instalados os extintores e outros equipamentos de proteção contra fogo.
Não se deve   obstruir o acesso aos extintores ou hidrantes, tampouco retirar lacres, etiquetas ou selos colocados no corpo dos equipamentos. O aconselhável é não mexer nesses objetos  a menos que seja necessária a    utilização.

Fonte: http://www.jornaldebrasilia.com.br/

Aviso importante:

O conteúdo exibido nesta seção é gratuito, e apresenta caráter meramente informativo. O Portal SíndicoNet não se responsabiliza pelo conteúdo, nem pelas decisões baseadas nas opiniões e recomendações contidas nesta seção. Assim, o Portal SíndicoNet se exime de qualquer responsabilidade pelos eventuais danos ou prejuízos, de qualquer natureza, que possam decorrer da utilização deste conteúdo, por qualquer meio ou processo, e para quaisquer fins. Em caso de dúvidas, é indispensável a consulta a um advogado ou especialista.
Para saber mais, acesse nosso Regulamento de Uso.

Depoimentos

próximo
Receba nossos Boletins

Mantenha-se Informado com as últimas notícias da área em seu email:

{{errorMessage}}

Assinatura efetuada com sucesso!

carregando...