O seu navegador é muito antigo :-(

Dica: Troque gratuitamente para um navegador mais atual para ter uma melhor experiência no SíndicoNet ;-)

Escolha um navegador ×
Administração

Gasto extra

Em Santo André, condomíno precisa arcar com custo de caminhão pipa

Publicado em: segunda-feira, 27 de janeiro de 2014

 Falta de água gera gasto extra em condomínio residencial

Para enfrentar o problema constante de falta d’água e não ficar com as torneiras secas, moradores de condomínio residencial no Parque Erasmo Assunção, em Santo André, terão de arcar com despesas extras. Isso porque é recorrente a necessidade de contratar o serviço de compra de água potável via caminhões-pipa para suprir a demanda.
 
Desde que se mudaram para o Condomínio Vida Plena Santo André, há cinco anos, os cerca de 600 condôminos do local aprenderam a conviver com a falta d’água e, com isso, a economizar. No entanto, com o problema intensificado neste verão, a solução imediata foi recorrer à compra de água potável. Apenas nesta semana já foram dez caminhões-pipa, com custo total de R$ 10 mil.
 
“Se fizermos uma conta rápida, chegamos à conclusão de que de dezembro para cá não tivemos nem 180 horas de abastecimento”, reclama o síndico do condomínio há um ano e dois meses, Paulo Chiarioni, 32 anos. Segundo ele, o problema chegou a persistir por até 36 horas.
 
Uma das pessoas que precisaram mudar a rotina mediante o desabastecimento constante foi o metalúrgico aposentado Laurindo Frassato, 85. Tanto que passou a lavar suas roupas à noite, após às 22h, momento em que há água na rua. “O que me deixa mais indignado é que a conta continua vindo com o mesmo valor”, diz.
 
Como forma de protesto, a população do bairro passou a pendurar faixas pelas ruas, denunciando o problema e cobrando solução.
 
O Semasa (Serviço Municipal de Saneamento Ambiental de Santo André) admitiu que o setor de abastecimento Erasmo Assunção é um dos mais afetados com a falta de água da cidade.
 
Segundo a autarquia, a água enviada para os reservatórios durante a noite e a madrugada não consegue alcançar a capacidade total de reservação. Com isso, cria-se um ciclo: o pouco líquido que ficou reservado é utilizado na sua totalidade até o meio do dia, período em que os moradores se preparam para ir ao trabalho e, em consequência, a água que é enviada no restante do dia não chega a ser reservada, pois a necessidade de consumo constante não permite.
 
O órgão municipal ressalta que a Avenida Jorge Beretta, onde fica o condomínio, está localizada em um dos pontos mais altos do setor, o que também acaba dificultando a chegada da água.
 
Sem especificar prazos e valores, a autarquia informa que já possui projetos para melhorar a rede de distribuição no local e busca viabilizar economicamente os estudos. 

Fonte: http://www.dgabc.com.br/

Aviso importante:

O conteúdo exibido nesta seção é gratuito, e apresenta caráter meramente informativo. O Portal SíndicoNet não se responsabiliza pelo conteúdo, nem pelas decisões baseadas nas opiniões e recomendações contidas nesta seção. Assim, o Portal SíndicoNet se exime de qualquer responsabilidade pelos eventuais danos ou prejuízos, de qualquer natureza, que possam decorrer da utilização deste conteúdo, por qualquer meio ou processo, e para quaisquer fins. Em caso de dúvidas, é indispensável a consulta a um advogado ou especialista.
Para saber mais, acesse nosso Regulamento de Uso.

Depoimentos

próximo
Receba nossos Boletins

Mantenha-se Informado com as últimas notícias da área em seu email:

{{errorMessage}}

Assinatura efetuada com sucesso!

carregando...