O seu navegador é muito antigo :-(

Dica: Troque gratuitamente para um navegador mais atual para ter uma melhor experiência no SíndicoNet ;-)

Escolha um navegador ×
Convivência

Paz no condomínio

Regras básicas de convivência ajudam a viver melhor

domingo, 27 de agosto de 2017

Dá para viver em paz em condomínios?

Especialistas em gestão acreditam que é possível, desde que sejam respeitadas regras básicas da boa convivência

Brigas por vagas na garagem, barulho de obra ou festa fora do horário permitido e não respeitar as áreas comuns de convivência são alguns dos motivos que geram desavenças entre os moradores de condomínios da Grande Vitória.

Mesmo com esses e outros problemas, é possível viver em paz em condomínios? Segundo especialistas em gestão de condomínio, sim, desde que sejam respeitadas regras básicas da boa convivência.

Eles contam que, geralmente, as brigas entre vizinhos acontecem pelo não cumprimento de regras simples estabelecidas pelo regimento interno.

A diretora geral da Real Administradora de Condomínios, Caroline Rosestolato, que administra um total de 30 condomínios na região metropolitana, explicou que para que a boa convivência reine, é preciso conhecer e respeitar os limites impostos nos condomínios.

Ela ressalta que conflitos simples e fáceis de serem resolvidos com apenas uma conversa acabam se tornando uma bola de neve por conta da falta de conhecimento do morador em relação às regras.

“O regimento interno é composto por regras práticas de convivência e é uma forma de educar as pessoas para que transtornos não aconteçam”, explicou.

Hoje, de acordo com a diretora, o principal motivo de reclamações e brigas é por vagas de garagem. Segundo ela, alguns condomínios têm regras claras sobre o uso da vaga, mas que muitos moradores desconhecem.

A diretora acrescentou que o termômetro para uma boa convivência é ter o bom senso de se colocar no lugar do outro. “O morador precisa compreender que o seu direito acaba quando ele viola o do outro”.

Pensando na melhoria das relações entre os moradores, condomínios têm investido em aplicativos de interação em que o morador pode registrar sua reclamação e também sugerir o que pode ser feito para uma convivência harmoniosa.

O representante do aplicativo Mobile Condomínios 21, Vando Lopes, explicou que a ferramenta registra queixas que podem ser direcionadas à administradora, ao síndico ou ao próprio vizinho.

Ele ressaltou que na maioria das vezes, o acordo chega em apenas uma conversa.

“Em quase 100% dos casos o problema é resolvido sem gerar proporções maiores. Mas o ponto principal é respeitar o espaço do outro”, explicou.

Redes sociais

O conselheiro, Igor Godoy, contou que no Condomínio Vitória Régia, em Jardim Camburi, os moradores criaram um perfil em uma rede social para postar as fotos das festas que eles realizam todos os meses. “Nossas festas são a demonstração da nossa união. Com as fotos no Facebook, todo mundo pode interagir e dar opiniões sobre as próximas festas”

Dicas de boa convivência

Convivência

Não disseminar fofocas ou boatos relacionados aos vizinhos é sempre positivo.

Uma conversa amigável será sempre a melhor saída para resolução de conflitos.

Barulho

Não é porque ainda está no horário permitido, que se pode fazer o barulho que quiser.

Com relação às crianças, o ideal é limitar o horário para brincadeiras dentro do apartamento.

Usar tapete emborrachado nos quartos das crianças, carpetes e tapetes ajudam a evitar a propagação do som para outras unidades.

Animais

Deve-se usar sempre as entradas de serviço e ser breve no trajeto até a rua. Caso o animal suje a área comum, a limpeza deve ser feita no mesmo momento.

Funcionários

Tratar sempre os vizinhos e funcionários com cordialidade.

O funcionário do condomínio não é um empregado do morador. Deve-se evitar pedir que execute serviços particulares.

Lixo

Não jogar papéis, bitucas de cigarro ou quaisquer outros objetos pela janela.

Cuidar para que seu lixo esteja sempre devidamente ensacado e sem exalar cheiro forte.

Elevador

Cumprimentar sempre todos os presentes e esperar as pessoas saírem para entrar, além de não segurar o equipamento em horários de pico.

Segurar a porta do elevador para outras pessoas entrarem também demonstra gentileza e cordialidade

Obras

Comunicar ao síndico e aos vizinhos antes de iniciar grandes reformas.

Salão de festas

Respeitar os horários de uso e não deixar a área toda suja após o uso. O ideal é retirar a parte principal do lixo e restos de comida e bebida.

Piscina

Não utilizar equipamentos de som nem pular na piscina com protetor solar e sempre tomar uma ducha antes do mergulho.

Garagem

Não buzinar e usar luzes baixas, além de respeitar as vagas.

Não usar a vaga como depósito e trafegar em baixa velocidade.

Fonte: Especialistas consultados.

Novidades para melhorar a segurança e gastar menos

As maiores preocupações dos síndicos e dos moradores são a segurança e os gastos relacionados à gestão, por isso, uma feira realizada na capital apresentou uma série de novidades tecnológicas na área de segurança que podem reduzir em até 60% os gastos dos condomínios.

Entre algumas tendências mostradas pelos expositores da Expo Condomínio Completo estão os sistemas eletrônicos de controle de acesso, as câmeras de alta resolução para rondas digitais com aplicativos e até portas giratórias, além de centrais que dispensam a presença dos porteiros nos edifícios.

Segundo o consultor em segurança André de Pauli, um dos palestrantes do evento, que atua há mais 20 anos na área de segurança, condomínios com até 80 unidades são ideais para implantação do sistema conhecido como portaria virtual, no qual as funções tradicionais do porteiro são realizadas por operadores em uma central.

“O sistema reduz custos e aumenta a produtividade. Pelo menos 80% do período de trabalho de um porteiro tradicional é ocioso. Em uma central, um operador pode atender a até cinco condomínios, diminuindo os custos com pessoal em mais da metade, além de reduzir o risco de falhas na segurança”, explicou.

 

Fonte: www.tribunaonline.com.br/

Aviso importante:

O conteúdo exibido nesta seção é gratuito, e apresenta caráter meramente informativo. O Portal SíndicoNet não se responsabiliza pelo conteúdo, nem pelas decisões baseadas nas opiniões e recomendações contidas nesta seção. Assim, o Portal SíndicoNet se exime de qualquer responsabilidade pelos eventuais danos ou prejuízos, de qualquer natureza, que possam decorrer da utilização deste conteúdo, por qualquer meio ou processo, e para quaisquer fins. Em caso de dúvidas, é indispensável a consulta a um advogado ou especialista.
Para saber mais, acesse nosso Regulamento de Uso.

Depoimentos

próximo
Receba nossos Boletins

Mantenha-se Informado com as últimas notícias da área em seu email:

{{errorMessage}}

Assinatura efetuada com sucesso!

carregando...