A vida de um condomínio nem sempre é uma maravilha. Tem sempre aquele dia em que a porta emperra, a maçaneta quebra, a torneira vaza e a lâmpada queima. Quando isso acontece, quem deve fazer esses pequenos reparos?

Em geral, quando não pedem por conhecimentos muito técnicos, ficam por conta do zelador, mas, esse retrato comum principalmente em condomínios pequenos, não é necessariamente o ideal. Existe um profissional que tem como principal função detectar e acabar com os problemas do dia-a-dia: o responsável pelos serviços gerais. 

 

Funções:

  • O profissional de serviços gerais deve estar preparado para detectar problemas, fazer o diagnóstico e solucioná-los. Especialistas consultados afirmam que, em 90% dos casos, as soluções dos problemas corriqueiros de um condomínio podem ser resolvidos de maneira simples e rápida, sem a exigência de conhecimentos muito específicos.
  • Quando necessário, deve solicitar orçamentos e acompanhar o reparo por empresas contratadas ou acionar o fabricante dos produtos novos.
  • Fazer vistorias periódicas às dependências do condomínio com o intuito de detectar possíveis problemas.

 

Trabalho de prevenção:

  • A rotina de prevenção é fundamental para o trabalho do responsável pelos serviços gerais, só assim, os problemas não vêm a tona e prejudicam o dia-a-dia dos moradores
  • A verificação diária deve acontecer na parte elétrica, hidráulica e de iluminação, além dos ambientes comuns, como escadas e garagem.
  • Uma vez por mês, a prevenção deve acontecer nas áreas mais técnicas do condomínio, como as bombas, elevadores e extintores de incêndio. Esse processo exige uma empresa especializada.
  • Veja aqui sugestão de roteiro de vistoria e inspeção predial

 

Conhecimentos e características do profissional:

  • Para lidar e resolver os problemas que afetam todos os moradores e funcionários do condomínio, o profissional deve trabalhar bem sob pressão.
  • Conhecimentos técnicos básicos, como noções de elétrica, hidráulica e telefonia são importantes para reparos rápidos no dia-a-dia.

 

Por que não o zelador?

  • O acúmulo de funções sob o zelador pode trazer problemas legais ao condomínio, já que não cabe a ele exercer a função de outro profissional, no caso, o responsável pelos serviços gerais. No entanto, se essa dupla função for documentada por ambas as partes, não há riscos.
  • Quando problemas aparecem, eles precisam de um diagnóstico preciso para serem resolvidos rapidamente. Nem sempre o zelador possui esses conhecimentos, o que pode gerar demora na solução, erros e até um agravamento da situação.
  • Sem outras funções além das que lhe cabe oficialmente, o zelador pode gerenciar o condomínio e orientar os outros profissionais de maneira mais consciente e tranquila.

 

Acúmulo de funções:

  • Seria ideal que todo condomínio tivesse o responsável pelos serviços gerais no seu quadro de funcionários, mas a verdade é que esse profissional pesa nos custos de um condomínio pequeno e se torna inviável.
  • A solução mais comum está no acordo de acúmulo de funções com um funcionário que tenha alguns conhecimentos técnicos, seja ele o responsável pela limpeza ou até o próprio zelador. Nesse caso, documentar a dupla função é fundamental para evitar problemas judiciais.
  • Alguns condomínios, como os de casas, por exemplo, optam por dividir o dia do funcionário. Pela manhã, por exemplo, ele cuida da limpeza do prédio, durante a tarde, fica com a manutenção e prevenção.
  • Outro quadro que não é ideal, mas muito presente, é ter um profissional desse tipo em condomínios onde não há zelador. Nesse caso, ele faz a manutenção e acaba resolvendo problemas que seriam do zelador, caso ele existisse.
    Muitos condomínios pequenos fazem essa substituição. Para não correr riscos com problemas jurídicos, já que, nesse quadro, facilmente um profissional acaba exercendo a função de outro, o ideal é definir as responsabilidades do responsável pelos serviços gerais em contrato, conforme mencionado anteriormente.

 

Serviços nas unidades:

  • Não é recomendavel que qualquer profissional do condomínio, seja o responsável pelos serviços gerais ou o zelador, faça reparos nos apartamentos. É importante sempre deixar claro que os funcionários do condompinio não são fincionários dos moradoes e não têm qualquer responsabilidade sob problemas e suas soluções dentro das unidades.

Fontes consultadas: Nilton Savieto, síndico profissional; Claudemir Silva, diretor da Olimpo Treinamentos; Ana Paula Tosta, Coordenadora de Marketing e Relacionamento do Grupo Pro Security


Página Anterior Página 6 de 16 Próxima Página