O seu navegador é muito antigo :-(

Dica: Troque para um navegador moderno para ter uma melhor experiência no SíndicoNet 😉

Saiba mais ×
Conteúdo para Administradoras

Coworking em condomínios: a tendência da pandemia que veio para ficar

Como muitas empresas adotaram o home office ou trabalho híbrido em definitivo e não abrem mão desse estilo de trabalho, o coworking em condomínios é uma excelente opção para os moradores e também é uma forma de valorizar o condomínio

19/07/22 05:22 - Atualizado há 7 meses
WhatsApp
LinkedIn
mulheres sentadas ao redor de uma mesa, com um notebook, trabalhando, em um espaço de coworking em condomínio
Criar um espaço de coworking é uma forma de trazer comodidade aos moradores e valorizar o empreendimento
Unplash

A busca por maior liberdade e qualidade de vida fez com que o trabalho remoto fosse bem recebido entre empregadores e colaboradores. Com isso, o coworking em condomínios residenciais também virou tendência e ganhou destaque, pois permite que as pessoas trabalhem ao mesmo tempo em que mudam um pouco o cenário.

Esses espaços compartilhados têm vantagens tanto para os condôminos, quanto para as administradoras de condomínio. A decisão de transformar um espaço interno em coworking é uma forma de acompanhar as necessidades dos moradores e também abrir o condomínio para outros profissionais, o que faz crescer as chances de networking.

Dessa forma, construir um coworking no condomínio que a sua empresa administra é uma forma de levar facilidade para os moradores e também de valorizar o condomínio em questão.

Por isso, abaixo vamos te explicar o que é coworking, quais as vantagens e como construir esse espaço compartilhado no condomínio. Boa leitura!

O que é coworking em condomínio e como funciona?

Coworking é um espaço físico que pode ser compartilhado por várias pessoas que precisam de um lugar para trabalhar. Ou seja, é um espaço de trabalho compartilhado com vários profissionais que atuam em empresas diferentes.

Em um coworking, não é necessário conhecer as pessoas que estão ali. A ideia é compartilhar a mesma infraestrutura e cada um trabalhar no seu espaço. Um dos benefícios desses locais é a oportunidade de interagir com pessoas novas e compartilhar ideias.

Assim, nessa modalidade, o profissional pode alugar uma estação de trabalho com mesa e cadeira ou dividir uma mesa grande com várias outras pessoas. Nesse estilo, existem salas para alugar também, mas a ideia das salas é serem usadas apenas para reuniões.

Dessa forma, oferecer um coworking no condomínio é uma maneira de trazer mais uma facilidade para os moradores em home office e também abrir espaço para outros profissionais de fora usarem o local — se essa opção for viável, é claro.

Os coworkings cobram uma taxa para uso, já que toda a estrutura, energia e internet estão inclusos. Para moradores, a taxa poderá ser menor do que a cobrada para outros profissionais que não moram no condomínio, que deve ser de acordo com as práticas de mercado, compatível ao que o local oferece.

Quais as principais vantagens para quem adota o espaço de coworking?

Antes de pensar que a ideia de um coworking é muito difícil e burocrática, abaixo separamos 5 vantagens de um espaço compartilhado para trabalho no condomínio. Confira.

1 - Oferecer um local onde os moradores possam focar no trabalho

Um dos principais benefícios do coworking é poder focar realmente no trabalho. Não haverá distrações com a família, filhos ou pets.

Desse modo, fornecer esses espaços permite que os moradores aumentem a produtividade, com a sensação de mudar de ambiente, mas sem sair realmente do local. Afinal, só é preciso usar o elevador e é possível manter as crianças por perto, caso necessário.

2 - Infraestrutura, economia e facilidade para os moradores

Outro benefício de ter um coworking no condomínio é oferecer facilidade e infraestrutura para os moradores.

E, mesmo que o condomínio gaste mais com energia, água e investindo em móveis e decoração, esse espaço consegue fidelizar os moradores, fazendo com que o imóvel seja desejado por outros. Isso ajuda a garantir uma boa reputação no mercado, valorizando os apartamentos ou casas do local.

Além disso, o coworking representa uma economia para os moradores, principalmente com infraestrutura e deslocamentos, entretanto, a taxa condominial pode subir um pouco, principalmente na fase de implantação da área. Depois, a expectativa é que as despesas do espaço sejam pagas com as taxas cobradas por quem usar.

3 - Mais qualidade de vida para os moradores

Com um coworking no condomínio, os moradores:

  • Não precisam se deslocar para o trabalho e nem enfrentar trânsito;
  • Têm acesso a um escritório completo no quesito estrutura, mobília e internet;
  • Espaço para trabalhar sem distrações;
  • Networking;
  • Vida social.

Oferecer isso no condomínio é proporcionar tempo de qualidade para os moradores e isso é valioso para eles.

4 - Networking

Por último e não menos importante, um coworking ajuda, e muito, no networking. Tanto para quem usa o espaço, quanto para o condomínio.

Pois, do mesmo jeito que podem aparecer oportunidades para quem está compartilhando o espaço, podem surgir boas parcerias para o condomínio também.

Além disso, compartilhar momentos com outras pessoas é ótimo para a manutenção da vida social, como falamos acima.

5 - Valorização do condomínio

A retenção dos moradores passa a ideia de um condomínio inovador e que se preocupa com quem mora ali. A ambientação, bem como a construção de uma área específica, valorizam o local perante o mercado imobiliário.

Isso não só oferece possibilidades de investimentos como também atrai moradores e aumenta a demanda, permitindo um aumento proporcional nos preços e lucratividade.

Como transformar áreas comuns do condomínio em coworking?

Em novos empreendimentos, o espaço para coworking já pode estar previsto na planta do imóvel. Assim, quando tudo estiver pronto, as regras para uso já irão fazer parte do regimento interno.

Agora, se o condomínio que a sua empresa administra não tem esse local de trabalho compartilhado, é preciso fazer uma assembleia com os condôminos e decidir como será o investimento, o espaço e as regras.

Dessa forma, conforme o artigo 1.342 do Código Civil:

“A realização de obras, em partes comuns, em acréscimo às já existentes, a fim de lhes facilitar ou aumentar a utilização, depende da aprovação de dois terços dos votos dos condôminos”.

Ou seja, para criar um coworking em condomínio é preciso a aprovação de 2/3 dos condôminos. Assim, se aprovada a proposta, é preciso ter um projeto, abrir cotação, fazer um fundo de benfeitorias e começar a construção.

Vale lembrar que toda e qualquer decisão sobre esse espaço deve ser feita em assembleia.

Confira as orientações do advogado e síndico profissional Maicon Guedes no vídeo a seguir:

Quais são as regras para utilizar um coworking em condomínio residencial?

As regras do condomínio devem especificar alguns pontos fundamentais para o uso do espaço de trabalho compartilhado, tal como ocorre com as demais áreas comuns.

Ou seja, para que o espaço seja funcional, é preciso definir as regras de uso, aprovar em assembleia e incluir no regimento interno.

As mais usuais, são:

  • Horário de funcionamento: definir um horário de funcionamento é essencial para manter a ordem. Dessa forma, ter o funcionamento apenas em horário comercial é o ideal. Tanto para os moradores, quanto para os colaboradores do condomínio que devem cumprir suas atividades referentes à limpeza e à manutenção do local também.
  • Como fazer a reserva: os coworkings têm lotação máxima, por isso, é dever da administradora encontrar uma maneira de os moradores e pessoas de fora fazerem suas reservas. Pode ser pela internet, telefone ou por um aplicativo. O importante é não deixar virar bagunça.
  • Silêncio: um dos principais objetivos do coworking é poder se concentrar no trabalho. Dessa forma, o silêncio é essencial. Assim, é preciso definir regras como: evitar falar alto, silenciar celulares e aparelhos eletrônicos, usar fones de ouvido, não fazer ligações no ambiente compartilhado e outros.
  • Limpeza: é dever do condomínio oferecer a limpeza do local, mas os usuários devem manter a ordem também. Ou seja, não é permitido jogar lixo no chão, não pode deixar as estações de trabalhos sujas e outras regras que levam em consideração a manutenção da limpeza e a ordem.
  • Respeite os outros usuários do espaço: parece algo óbvio, mas essa é uma regra que deve ser sinalizada, pois é importante não incomodar as pessoas que usam esses espaços. Ou seja, não ocupe o local do outro, não pegue objetos emprestados sem pedir e nem brinque com quem não se tem muita intimidade.

Portanto, ter um coworking em condomínios é uma forma de encantar os moradores, oferecer facilidade e qualidade de vida para eles e ainda tornar o empreendimento conhecido por ser inovador, que acompanha as tendências de mercado.

Além disso, é possível gerar renda para o condomínios com o aluguel. Ou seja, as vantagens são irrecusáveis. Por isso, marque uma assembleia com os condôminos e discuta essa ideia com eles!

Ainda está com dúvidas? Clique aqui, envie sua pergunta e logo nossos especialistas irão te responder.

Conteúdo SíndicoNet.

Web Stories

Ver mais

Newsletter

Captcha obrigatório

Confirmar e-mail

Uma mensagem de confirmação foi enviada para seu e-mail cadastrado. Acesse sua conta de email e clique no botão para validar o acesso.

Esta é uma medida para termos certeza que ninguém está utilizando seu endereço de email sem o seu conhecimento.
Ao informar os seus dados, você confirma que está de acordo com a Política de Privacidade e com os Termos de Uso do Síndico.
Aviso importante:

O portal SíndicoNet é apenas uma plataforma de aproximação, e não oferece quaisquer garantias, implícitas ou explicitas, sobre os produtos e serviços disponibilizados nesta seção. Assim, o portal SíndicoNet não se responsabiliza, a qualquer título, pelos serviços ou produtos comercializados pelos fornecedores listados nesta seção, sendo sua contratação por conta e risco do usuário, que fica ciente que todos os eventuais danos ou prejuízos, de qualquer natureza, que possam decorrer da contratação/aquisição dos serviços e produtos listados nesta seção são de responsabilidade exclusiva do fornecedor contratado, sem qualquer solidariedade ou subsidiariedade do Portal SíndicoNet.
Para saber mais, acesse nosso Regulamento de Uso.

Não encontrei o que procurava Quero anunciar no SíndicoNet