O seu navegador é muito antigo :-(

Dica: Troque gratuitamente para um navegador mais atual para ter uma melhor experiência no SíndicoNet ;-)

Escolha um navegador ×
Administração

Falta de respeito

Condomínios desobedecem a legislação de trânsito e ocupam ruas

Publicado em: terça-feira, 19 de junho de 2012

 Todo mundo manda um pouco no trânsito de SP  

Na cidade de São Paulo, parece que qualquer um pode mandar um pouquinho nas regras do trânsito. Como? Pintando no asfalto linhas para delimitar a saída da garagem, por exemplo. Ou instalando cones que "seguram" a vaga. E até criando suas próprias placas de advertência viária. Pela lei, tudo isso só deve ser feito ou autorizado pela Companhia de Engenharia de Tráfego (CET), mas a realidade não é bem assim.
 
A reportagem percorreu 38 quilômetros de vias nesta semana e encontrou dezenas de situações irregulares envolvendo sinalização. Todas praticadas por moradores ou comerciantes, sem aval da Prefeitura.
 
Na Rua Doutor Albuquerque Lins, na região central, já existe até um "esquema" para reservar vagas. Toda vez que um morador tem de deixar o carro na rua, o condomínio aciona, por rádio, o vigia da redondeza. Ele desloca um cavalete de madeira da calçada para a via e pronto:
 
"É só por uns cinco minutos", disse o vigilante, pago por três prédios situados perto da esquina com a Alameda Barros.
 
Perto dali, o residencial onde trabalha o zelador Espedito Melo, de 37 anos, também usa esse recurso. Um cavalete amarelo é colocado na rua para auxiliar os condôminos.
 
"Usamos quando há mudanças. Sem ele, não tem como dar espaço para o caminhão", disse. Em casos assim, a CET autoriza a ocupação provisória da rua. Porém, na quarta-feira, o obstáculo estava no asfalto sem haver qualquer mudança.
A reportagem encontrou cones, bloco de concreto, caixas de tinta com cimento e até duas mesas sendo usadas para reserva de vagas. O engenheiro Horácio Augusto Figueira, mestre em Transportes pela Universidade de São Paulo (USP), explica que é perigoso pôr qualquer equipamento no meio pista. "O objeto muitas vezes não é visível, ou seja, não é adequado para ficar ali." As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

Fonte: http://www.dgabc.com.br

Aviso importante:

O conteúdo exibido nesta seção é gratuito, e apresenta caráter meramente informativo. O Portal SíndicoNet não se responsabiliza pelo conteúdo, nem pelas decisões baseadas nas opiniões e recomendações contidas nesta seção. Assim, o Portal SíndicoNet se exime de qualquer responsabilidade pelos eventuais danos ou prejuízos, de qualquer natureza, que possam decorrer da utilização deste conteúdo, por qualquer meio ou processo, e para quaisquer fins. Em caso de dúvidas, é indispensável a consulta a um advogado ou especialista.
Para saber mais, acesse nosso Regulamento de Uso.

Depoimentos

próximo
Receba nossos Boletins

Mantenha-se Informado com as últimas notícias da área em seu email:

{{errorMessage}}

Assinatura efetuada com sucesso!

carregando...