O seu navegador é muito antigo :-(

Dica: Troque gratuitamente para um navegador mais atual para ter uma melhor experiência no SíndicoNet ;-)

Escolha um navegador ×
Inadimplência

Novo CPC

Cobrança pelo rito sumário vai acelerar ritmo de processos

Publicado em: sexta-feira, 15 de abril de 2016

O novo CPC e as dívidas de condomínio

Com a recente crise econômica perpetrada em nosso país, a diminuição do poder aquisitivo da população e o crescimento do endividamento dos brasileiros é natural que aumente a inadimplência da população, principalmente no que se refere às taxas e despesas condominiais.
 
Os condomínios, então, por meio de seus síndicos ou administradoras e os condôminos devem ficar atentos para não deixar crescer a inadimplência, tornando a dívida impagável no futuro.
 
Antes da entrada em vigor do novo Código de Processo Civil, o condomínio necessitava propor uma Ação de Cobrança pelo Rito Sumário (considerado mais célere) para obter do condômino inadimplente o pagamento dos valores atrasados.
 
Tal procedimento, mesmo sendo pelo rito sumário, proporcionava ao condômino inadimplente diversos mecanismos de postergar o pagamento do débito e dificultar o recebimento do condomínio.
 
Pensando nisso, os legisladores quando da confecção do Novo Código de Processo Civil acertadamente atribuíram para as taxas e despesas condominiais a natureza de título extrajudicial, conforme o rol taxativo do artigo 784, X, do Novo Código de Processo Civil, que assim dispõe: 'São títulos extrajudiciais: o crédito referente às contribuições ordinárias ou extraordinárias de condomínio edilício, previstas na respectiva convenção ou aprovadas em assembleia geral, desde que documentalmente comprovadas'.
 
Com a referida mudança, é possível ao condomínio propor Ação de Execução de Título Extrajudicial, na qual o condômino é citado para o pagamento do débito no prazo de três dias. Caso não realize o pagamento do condomínio, há um prazo de 15 dias para apresentar Embargos à Execução, o que não obsta o prosseguimento dos atos executórios, desde que não tenha ocorrido a garantia do débito exequendo.
 
A mudança é de extrema relevância para o direito imobiliário, já que proporciona maior celeridade nos processos de cobrança de condomínio. Esses novos procedimentos passaram a valer desde o dia 18 de março, quando entrou em vigor o novo CPC. Condomínios e condôminos devem ficar atentos a essas novas regras de cobrança.
 
Pedro Henrique Picco é especialista em direito civil e processo civil.

Fonte: http://www.investimentosenoticias.com.br/

Aviso importante:

O conteúdo exibido nesta seção é gratuito, e apresenta caráter meramente informativo. O Portal SíndicoNet não se responsabiliza pelo conteúdo, nem pelas decisões baseadas nas opiniões e recomendações contidas nesta seção. Assim, o Portal SíndicoNet se exime de qualquer responsabilidade pelos eventuais danos ou prejuízos, de qualquer natureza, que possam decorrer da utilização deste conteúdo, por qualquer meio ou processo, e para quaisquer fins. Em caso de dúvidas, é indispensável a consulta a um advogado ou especialista.
Para saber mais, acesse nosso Regulamento de Uso.

Depoimentos

próximo
Receba nossos Boletins

Mantenha-se Informado com as últimas notícias da área em seu email:

{{errorMessage}}

Assinatura efetuada com sucesso!

carregando...