O seu navegador é muito antigo :-(

Dica: Troque gratuitamente para um navegador mais atual para ter uma melhor experiência no SíndicoNet ;-)

Escolha um navegador ×
Convivência

Sem sujeira de cachorro

Moradora de condomínio em Mogi deixa porta-sacolinhas pela área comum

Publicado em: segunda-feira, 8 de maio de 2017

Cansada de cocôs de cachorro nas ruas, enfermeira de Mogi cria porta sacolinhas e espalha pela vizinhança

Enfermeira estava incomodada com as fezes deixadas nas ruas e calçadas depois de outros moradores levarem os cães e gatos para passear.

Os cachorros e os moradores de um condomínio de César de Sousa, em Mogi das Cruzes, agora podem andar tranquilamente pela calçada e pelas ruas. Antes, era preciso desviar dos cocôs espalhados pela calçada.

Cansada de ver a situação se repetindo quando ia passear com seus cachorros, uma moradora decidiu deixar sacolinhas plásticas disponíveis em garrafas PETs na rua de seu condomínio para incentivar os demais moradores a recolherem as fezes dos animais.

As sacolinhas foram colocadas por Mariane Casa Branca Moura há duas semanas em garrafas plásticas. Ela recortou cada uma para fazer um puxador e ainda deixou um recado:

"Esqueceu a sacolinha para limpar a sujeira do seu cão? Retire aqui e mantenha nossa rua e gramados limpos. Você também pode colocar mais sacolinhas nas garrafas. Amamos nossos animais, respeitando a rua de todos.”

Antes da ação, Mariane disse que os cocôs se multiplicavam pelas calçadas quando ia passear com seus quatro cachorros. Em duas semanas, ela conta que a situação melhorou cerca de 90% só por conta de "um povo que ainda não enxergou a luz da civilização", como ela mesmo brinca sobre os "desavisados" que ainda não levam a própria sacolinha para recolher o lixo dos cães.

O que mais deixou Mariane feliz foi o fato de que outros moradores aderiram à ideia e já estão repondo as sacolinhas nas nove garrafas plásticas espalhadas por ela. “Eu sei que foi bem aceito porque eu não fico repondo toda hora. Com o bilhetinho que eu coloquei, as outras pessoas estão reabastecendo as garrafas. Eu coloquei esse bilhetinho justamente para testar se o pessoal ia colaborar e eles estão pondo: todas as garrafas estão abarrotadas de saquinhos plásticos.”

No conjunto residencial onde Mariane mora não é permitido deixar os cachorros soltos dentro do condomínio. Passear com os cachorros e gatos é permitido somente nas calçadas e na rua. Foi lá que ela instalou nove garrafas, algumas amarradas entre os postes e outras nas árvores.

Neste período, o zelador já reparou que as calçadas estão mais limpas.

“Eu gosto dos animais, só que alguns donos deixavam as necessidades deles aqui na grama e o pessoal reclamava. Agora, com a ideia que ela teve, as calçadas não têm mais tanta sujeira e não tem reclamação. Melhorou muito e, inclusive, eu vou levar uma dessas garrafas que sobraram e deixar com um amigo meu de Jundiapeba que pediu para colocar lá no bairro dele”, conta Antônio José da Silva.

O morador Bebeto Santana, que estava passeando com seu cachorro, aprovou a iniciativa.

“É uma boa. Às vezes a gente tem muitas sacolinhas em casa e não sabemos o que fazer com elas.”

O zelador de um dos condomínios ainda instalou uma lixeira para que os moradores pudessem jogar a sacolinha cheia no lixo.

No mês de março, a Câmara de Mogi das Cruzes aprovou um projeto de lei que obriga os donos dos pets de coletar as fezes dos animais domésticos e dispensar o material em lixeiras “e que no caso de descumprimento ficará o infrator sujeito às cominações legais.”

A medida vale tanto para as ruas, quanto em parques e praças públicas, mas apenas em um caráter informativo, e não é aplicada nenhuma multa.

Fonte: http://g1.globo.com/

Aviso importante:

O conteúdo exibido nesta seção é gratuito, e apresenta caráter meramente informativo. O Portal SíndicoNet não se responsabiliza pelo conteúdo, nem pelas decisões baseadas nas opiniões e recomendações contidas nesta seção. Assim, o Portal SíndicoNet se exime de qualquer responsabilidade pelos eventuais danos ou prejuízos, de qualquer natureza, que possam decorrer da utilização deste conteúdo, por qualquer meio ou processo, e para quaisquer fins. Em caso de dúvidas, é indispensável a consulta a um advogado ou especialista.
Para saber mais, acesse nosso Regulamento de Uso.

Depoimentos

próximo
Receba nossos Boletins

Mantenha-se Informado com as últimas notícias da área em seu email:

{{errorMessage}}

Assinatura efetuada com sucesso!

carregando...