O seu navegador é muito antigo :-(

Dica: Troque gratuitamente para um navegador mais atual para ter uma melhor experiência no SíndicoNet ;-)

Escolha um navegador ×
Segurança

Segurança privada

Serviço já chegou nos condomínios

quarta-feira, 14 de agosto de 2019
WhatsApp
LinkedIn

Segurança privada chega aos condomínios

Mesmo ainda não sendo algo muito comum de ser visto, muitos condomínios vêm escolhendo contratar empresas de segurança privada para que os moradores possam se sentir mais protegidos. No entanto, no momento em que se pensa em contratar um serviço deste tipo, é preciso estar atento aos detalhes, como a regularidade da empresa, que deve estar documentada; alvará; certificado de segurança emitido pela Polícia Federal; as regras contidas na legislação.

No quesito segurança, existe um conjunto com diversos aparatos tecnológicos que contribuem para que ele seja eficaz: cerca elétrica, fotossensor, sistema de alarmes, circuito fechado de televisão, entre outros. Porém as pessoas ainda sentem a necessidade do recurso humano, que vai além da tecnologia, papel esse que muitas vezes apenas um porteiro tradicional não seja capaz de desempenhar.

"Normalmente condomínios não adotam a questão da segurança privada, seja ela armada ou não, só se for o caso de localidades mais vulneráveis", aponta Kelsor Fernandes, presidente do Sindicato da Habitação da Bahia (Secovi-BA).

"O que vem ocorrendo bastante é alguns condomínios de uma mesma rua se juntarem para colocar câmeras na rua ou contratar um segurança para fazer rondas. Perde um pouco a privacidade, mas é uma forma de se sentir mais tranquilo", reflete.

Critérios de seleção

É preciso também ter uma preocupação maior no momento de selecionar os profissionais que terão o dever de garantir essa segurança ao local. "Essa é a primeira etapa, é essencial avaliar o perfil das pessoas na seleção, pois os seguranças precisam ter postura, disciplina e saber servir de forma apropriada o pessoal, além, é claro, de ser um profissional habilitado", pontua o síndico profissional Osvaldo José.

"Tudo deve estar bem claro no contrato e ter atestados de capacidade mental apresentados, para que não ocorra nenhum contratempo, já que é um serviço que deve vir para resolver os problemas, não causá-los", reforça Kelsor.

Anderson Costa, funcionário do setor comercial da Max Forte, que atua há 18 anos no mercado de segurança no Brasil, com sede situada em Salvador, conta que muitos condomínios de luxo na cidade têm escolhido adotar não só a segurança patrimonial, como também o uso de segurança armada.

"É necessário entender que um condomínio é diferente de uma empresa", afirma. "O treinamento destes funcionários deve ser diferenciado para os diferentes cenários nos quais eles irão trabalhar. Um condomínio contém um livro de regras que deve ser respeitado, todo o procedimento deve ser feito de acordo com o que a lei do condomínio permite", explica.

Anderson conta também que a Max Forte presta cursos não só para os seguranças da empresa, fazendo treinamento condominial nos locais em que são contratados, ensinando procedimentos de segurança e planos de ação, que devem ser personalizados para cada condomínio, pois cada cenário exige uma forma de agir.

União de todos

"Não é só o vigilante que faz a segurança, os moradores precisam saber como se portar caso presenciem algo que não está certo, saber como acionar a todos e procurar ajuda da forma correta", esclarece.

Outro ponto que gera bastante divergência de opiniões é sobre a diferença de funções que um segurança tem de um porteiro. Kelsor afirma que um segurança não pode desempenhar de forma alguma o papel de porteiro, por conta do treinamento diferenciado que as duas funções possuem. Por sua vez, Osvaldo aponta que isso pode, sim, acontecer, já que um segurança passa por diversos treinamentos voltados para a atuação nos condomínios, incluindo o de controlar o acesso no local.

Segurança em condomínios

Recurso humano

A segurança patrimonial é feita com um conjunto de aparatos tecnológicos, porém as pessoas ainda sentem necessidade do recurso humano.   

Regularidade

Ao contratar um serviço de segurança privada, é preciso prestar atenção em diversos detalhes, como regularidade da empresa, alvará, certificado de capacidade mental dos seguranças e certificado de segurança emitido pela Polícia Federal.

Qualificação

Empresas de segurança devem oferecer cursos diferenciados para os seguranças que trabalham em condomínios, sendo um ambiente diferente de empresa. 

Fonte: http://atarde.uol.com.br

Aviso importante:

O conteúdo exibido nesta seção é gratuito, e apresenta caráter meramente informativo. O Portal SíndicoNet não se responsabiliza pelo conteúdo, nem pelas decisões baseadas nas opiniões e recomendações contidas nesta seção. Assim, o Portal SíndicoNet se exime de qualquer responsabilidade pelos eventuais danos ou prejuízos, de qualquer natureza, que possam decorrer da utilização deste conteúdo, por qualquer meio ou processo, e para quaisquer fins. Em caso de dúvidas, é indispensável a consulta a um advogado ou especialista.
Para saber mais, acesse nosso Regulamento de Uso.

Depoimentos

próximo
Receba nossos Boletins

Mantenha-se Informado com as últimas notícias da área em seu email:

{{errorMessage}}

Assinatura efetuada com sucesso!

carregando...