O seu navegador é muito antigo :-(

Dica: Troque gratuitamente para um navegador mais atual para ter uma melhor experiência no SíndicoNet ;-)

Escolha um navegador ×
Segurança

Falta de segurança

Condomínios de Manaus também sofrem com ação e bandidos

Publicado em: segunda-feira, 3 de outubro de 2016

Cresce número de roubos e furtos em condomínios fechados, em Manaus

De acordo com o delegado Adriano Felix, as quadrilhas agem com informações privilegiadas trazidas por funcionários da moradia ou mesmo por meio de postagens em redes sociais.

Com assaltantes cada vez mais ousados, aumentaram os casos de roubos e furtos a apartamentos em condomínios fechados, em Manaus, neste ano. Nos primeiros oito meses de 2016, a Secretaria de Segurança Pública do Amazonas (SSP-AM) registrou esse tipo de crime em 12 residenciais da cidade, enquanto que, no mesmo período do ano passado, cinco condomínios foram alvos de assaltantes.

Uma das prioridades de quem mora em condomínio é a segurança. Esse foi o principal motivo que fez o servidor público Hudson Silva, 35, sair da antiga casa, no bairro Vila da Prata, na zona oeste da capital. Há duas semanas, no entanto, o servidor teve o apartamento furtado, no condomínio Parque Sabiá, no bairro Dom Pedro 1, zona centro-oeste de Manaus.

Os ladrões, segundo Silva, forçaram a porta de entrada do apartamento e levaram quase todos os aparelhos eletrônicos, um prejuízo estimado em R$ 12 mil. Segundo Hudson, três videogames, uma televisão de 55 polegadas, joias, furadeira, ferramentas e até mesmo uma mala com roupas foram furtados pelos criminosos que entraram e saíram do condomínio sem serem notados.

A decisão de ir morar no condomínio veio após Hudson ter passado por uma experiência parecida. Segundo o servidor, há seis anos, a mãe dele foi rendida por assaltantes armados dentro de casa.

“Posso falar que, depois de ver um ente querido morrer, essa foi a pior experiência da minha vida. Ver minha casa toda revirada foi desesperador. Me mudei de bairro porque já tinha passado por isso. A gente não tem segurança dentro da própria casa”, disse.

De acordo com o servidor, a sensação de insegurança continua. Na primeira noite após o furto, além da troca da fechadura, latas foram espalhadas pelo apartamento e um botijão de gás foi colocado na frente da porta principal, na esperança de atingir um nível maior de segurança.

“Comprei um kit de câmeras e espalhei pela casa e apenas uns três dias depois (do roubo), consegui dormir. Comprei um kit de alarmes também pra me sentir mais seguro. A gente paga R$ 500 de condomínio e ainda tem que fazer um ‘bunker’ (abrigo blindado) dentro de casa para poder dormir”, disse.

Conforme a SSP-AM, os condomínios que registraram assaltos, neste ano, estão localizados em bairros como Chapada, Flores, Parque 10 de Novembro, Lagoa Azul, Tarumã, Colônia Terra Nova, Lírio do Vale, Crespo, Ponta Negra e Tarumã-Açu.

Em julho, três homens morreram após terem entrado em confronto com policiais do Grupo Força Especial de Resgate e Assalto (Fera) dentro do condomínio Jardim Santorini, na Estrada do Turismo, no Tarumã, zona oeste de Manaus.

Segundo informações do coordenador do Fera, investigador Edilei Rodrigues, a equipe de segurança de condomínio entrou em contato com um policial civil, que mora no local, informando que um grupo havia entrado no condomínio. O policial solicitou apoio dos policiais do Fera e, após buscas, os policiais conseguiram localizar os suspeitos que estavam armados e, segundo o investigador, reagiram à abordagem policial.

Falhas  na segurança contribuem para assaltos, afirma morador

No caso do condomínio Parque Sabiá, Hudson Silva acredita que uma falha na segurança do condomínio contribuiu para a ação dos criminosos. Segundo o morador, a administração, depois do episódio, passou a adotar sistemas e procedimentos rigorosos no controle de acesso para quem entra no empreendimento, além de instalações de mais câmeras por todo condomínio.

“Conheço mais de uma pessoa, infelizmente, que já passou por esse problema. Pode notar que isso acontece mais na época de eleição, sabe? Porque não tem policiamento nas ruas pra conter esse ‘arreto’ dos bandidos. Falta punir esse povo, tirar de circulação nas ruas”, disse.

Semanas antes do assalto, Hudson relata que o condomínio não dispunha de nenhuma câmera e que, na nova administração, foram colocadas quatro câmeras que estão auxiliando as investigações. “Já desapeguei das minhas coisas, não acredito que vou reaver nada. Mas gostaria que eles fossem presos, porque não desejo isso a ninguém”, afirmou.

Delegado afirma que número de casos é maior

Para o delegado da Especializada em Roubos, Furtos e Defraudações (Derfd), Adriano Felix, houve um aumento no número de assaltos a casas na cidade, mas, muitas pessoas ainda deixam de fazer o registro policial por medo dos criminosos. Este ano, de janeiro a agosto, segundo dados da SSP-AM, 54 pessoas registraram ter sofrido com o roubo a casas. No mesmo período do ano passado, eram 62, o que, segundo os dados oficiais, significa uma redução de 12%.

De acordo com Felix, as quadrilhas agem com informações privilegiadas trazidas por funcionários da moradia. Os criminosos ainda se utilizam de postagens em redes sociais para saber a rotina da família.

“Não indico que o empresário ou a pessoa se utilize de cofres dentro de casa, mesmo que não tenha nada dentro, para não atrair a atenção dos bandidos. Ao viajar, também não deixar a luz acesa, noite e dia. Evitar ostentar joias e viagens, carros”, orientou.

Nos condomínios fechados, segundo o delegado, os assaltantes se utilizam de artimanhas diferentes - como os disfarces de serviços comuns nos prédios. Vestidos como técnicos de empresas de internet, de TV a cabo, de bufê e até mesmo com uniforme de servidores públicos, os criminosos ficam livres de qualquer suspeita para entrar no condomínio fechado.

Na avaliação do delegado, a falta de treinamento e orientação aos funcionários também contribui para ação.

“No mês passado, em um condomínio do Vieiralves, a própria secretária liberou a entrada dos assaltantes que se passaram por entregadores de um restaurante, sem consultar os donos da casa. Os assaltantes subiram até o 13º andar do prédio e renderam todos os moradores do apartamento. Quer dizer, isso não pode acontecer, de liberar a entrada das pessoas sem autorização”, disse.

Fonte: http://new.d24am.com/

Aviso importante:

O conteúdo exibido nesta seção é gratuito, e apresenta caráter meramente informativo. O Portal SíndicoNet não se responsabiliza pelo conteúdo, nem pelas decisões baseadas nas opiniões e recomendações contidas nesta seção. Assim, o Portal SíndicoNet se exime de qualquer responsabilidade pelos eventuais danos ou prejuízos, de qualquer natureza, que possam decorrer da utilização deste conteúdo, por qualquer meio ou processo, e para quaisquer fins. Em caso de dúvidas, é indispensável a consulta a um advogado ou especialista.
Para saber mais, acesse nosso Regulamento de Uso.

Depoimentos

próximo
Receba nossos Boletins

Mantenha-se Informado com as últimas notícias da área em seu email:

{{errorMessage}}

Assinatura efetuada com sucesso!

carregando...