O seu navegador é muito antigo :-(

Dica: Troque gratuitamente para um navegador mais atual para ter uma melhor experiência no SíndicoNet ;-)

Escolha um navegador ×
Segurança

Invasão em condomínio

Síndica liberou os apartamentos para ocupação indevida

Publicado em: sexta-feira, 10 de novembro de 2017

Apartamentos invadidos em Sorocaba foram 'liberados' pela síndica, dizem moradores

Para assistir esse vídeo, acesse aqui. Você será redirecionado para outro site.

Conversas sobre os imóveis vazios teriam sido combinadas por celular. Mulher apontada por locatários como responsável pelas ocupações não foi localizada

As famílias que ocuparam irregularmente apartamentos de um dos condomínios do Residencial Carandá, em Sorocaba (SP), alegam que entraram nas unidades com autorização da síndica, mas a mulher desapareceu depois que as ordens de despejos começaram a chegar.

De acordo com uma moradora, que preferiu ter a identidade preservada, a então síndica teria mandando um áudio pelo WhatsApp comunicando que os imóveis estariam “liberados”.

Logo após a conversa, as famílias começaram a ocupar os apartamentos. (Ouça o áudio acima)

"Eu já andei falando com os vizinhos, que vocês se identificaram, porque o pessoal pergunta, né? Eu falei: 'Não, gente, essa é a pessoa certa, pode ficar tranquilo'. Que eu passo confiança aqui certinho, ninguém desconfia de nada", teria dito a síndica em uma das conversas que a reportagem teve acesso.

Os imóveis vazios são de pessoas que desistiram do financiamento na etapa final do processo. No entanto, algumas unidades tiveram as portas arrombadas.

Ao todo, 71 apartamentos foram invadidos. A prefeitura fez uma ação no condomínio, com apoio da Polícia Militar e Guarda Civil Municipal nesta segunda-feira (6), para informar os moradores irregulares sobre a determinação da Justiça, que concedeu decisão favorável para a desocupação dos apartamentos.

Um dos moradores que entrou em um apartamento de forma irregular, e que também prefere ter a identidade preservada, disse que foi autorizado pela síndica e até questionou se precisaria pagar alguma taxa.

"Ela falou que nada, apenas as contas mensalmente que seriam água, luz e condomínio. Eu perguntei como que eu estaria entrando. E ela disse que não, que isso seria por conta dela. Perguntei se teria algum problema, ela falou que não, que depois de um algum tempo o banco entraria em contato para efetuar o pagamento do financimento", relata o homem.

Em nota, o secretário de Habitação e Regularização Fundiária, Fábio Gomes Camargo, disse que teve ciência da denúncia nesta terça-feira e que vai encaminhar o caso ao Banco do Brasil, agente financiador e detentor do imóvel, e ao Ministério Público Federal para as devidas providências.

As famílias que ocuparam os apartamentos foram indicadas pela moradora Sandra Silva, que mora de forma regular no condomínio.

“Avisei o pessoal, todo mundo ficou feliz e veio. Até aí o pessoal não tinha noção que era uma invasão. Depois que chegou o primeiro comunicado, ela [síndica] entrou em desespero. Eu fui atrás dela para perguntar o que seria feito e ela pulou fora”, diz.

O Residencial Carandá é um dos maiores conjuntos habitacionais do estado e foi entregue em março. Nele moram mais de 10 mil pessoas e as invasões começaram logo depois da inauguração.

Segundo as famílias do condomínio Jatobá, para liberar a ocupação dos imóveis vazios, a síndica chamou um chaveiro, que abriu as portas.

A mulher que teria liberado as ocupações não mora mais no condomínio e o atual síndico não quis comentar sobre o caso.

Fonte: https://g1.globo.com/

Aviso importante:

O conteúdo exibido nesta seção é gratuito, e apresenta caráter meramente informativo. O Portal SíndicoNet não se responsabiliza pelo conteúdo, nem pelas decisões baseadas nas opiniões e recomendações contidas nesta seção. Assim, o Portal SíndicoNet se exime de qualquer responsabilidade pelos eventuais danos ou prejuízos, de qualquer natureza, que possam decorrer da utilização deste conteúdo, por qualquer meio ou processo, e para quaisquer fins. Em caso de dúvidas, é indispensável a consulta a um advogado ou especialista.
Para saber mais, acesse nosso Regulamento de Uso.

Depoimentos

próximo
Receba nossos Boletins

Mantenha-se Informado com as últimas notícias da área em seu email:

{{errorMessage}}

Assinatura efetuada com sucesso!

carregando...