O seu navegador é muito antigo :-(

Dica: Troque gratuitamente para um navegador mais atual para ter uma melhor experiência no SíndicoNet ;-)

Escolha um navegador ×
Artigos e opiniões

Mais um arrastão

Na 13ª ocorrência do ano em SP, não perdoaram nem o Zeca

Por João Fernando Cardozo

Parece Matéria Repetida: Bando invade condomínio na Aclimação e não perdoam, até o cãozinho Zeca, se torna um dos itens roubados.

Seria mais uma dentre as 13 invasões de condomínio ocorridas até o ultimo dia 22/05/2012 no estado de São Paulo, não fosse o Zeca ter mudado o desfecho da ação.

Isso mesmo, Zeca é o melhor amigo de uma das vitimas de assalto no condomínio invadido no ultimo dia 22 deste mês, no bairro da Aclimação na capital de São Paulo.

Segundo informações, um dos meliantes disfarçado de carteiro, após declarar que precisava entregar uma encomenda para um dos moradores, teve a sua entrada liberada indevidamente por um dos porteiros do condomínio. Em seguida cuidou para que os demais membros do bando de aproximadamente 20 integrantes também entrassem e passassem a roubar, ameaçar e agredir suas vitimas.

Um morador (publicitário) de 72 anos foi agredido pelos meliantes e socorrido pelos moradores sendo conduzido a um hospital.

Dentre os itens roubados estavam um veículo Corsa, vinte mil reais, joias e o Zeca...

Isso mesmo! Zeca é um cão da raça STAFFORDSHIRE de origem Inglesa.

O cão agradou até um dos meliantes que, segundo informações da vitima, chegou a comentar: “o cachorro é da hora! Vamos levar o cachorro do ‘boy’”.

A cidade de São Paulo foi alvo de 13 arrastões em 2012. O número é o mesmo registrado durante os 12 meses de 2011. Na comparação entre os dois anos, a média mensal de ocorrências do tipo saltou de 1,08 para 2,6. Os dados são da Secretaria de Segurança Pública de São Paulo.. Se continuar neste ritmo, a tendência é que 2012 supere 2010, quando houve recorde de 24 arrastões.

A Polícia Civil resgatou o cachorro Zeca. O animal estava em uma favela no bairro Monte Kemmel, na zona leste da capital.

O que também chama a atenção para este caso é o fato do meliante ter utilizado o recurso de disfarce de falso carteiro às 19h -horário não muito comum para este fim- e obter êxito.

Nos últimos meses um caso semelhante ocorreu no bairro do Paraíso, sem contar que outros crimes foram praticados com o mesmo modus operandi. 

A PERGUNTA É: ATÉ QUANDO?

Até quando vamos permanecer nesta situação de  zona de conforto e permitir que crimes como estes ocorram sem encontrar nenhuma dificuldade? Mais uma vez, esta ação também poderia ter sido evitada.

Observe algumas dicas que podem contribuir para a prevenção quanto a crimes deste tipo:Ao utilizar o recurso de disfarce de “carteiro” muitos deixam inclusive um crachá falso a mostra para poder causar maior convicção aos que irão recebê-lo, no caso de condomínios os porteiros e controladores de acesso.

POR QUE OS CONDOMÍNIOS?

Os meliantes se aproveitam de deficiências na rotina do condomínio das quais apresento apenas três: 1.Profissionais mal treinados e com vícios (do próprio serviço). 2.Moradores despreocupados com a segurança de familiares e demais moradores 3. Falta de procedimentos seguros e orientação sobre os mesmos.

COMO PREVENIR ESTE CASO ESPECÍFICO?

Recomendo que os síndicos e zeladores orientem seus porteiros para que não permitam a entrada de carteiros na parte interna do condomínio - principalmente na guarita.

A triagem deve ser feita sem contato físico, utilizando a clausura e o interfone, sem abrir o segundo portão.As correspondências devem ser colocadas no passa-volumes juntamente com o protocolo de entrega quando for o caso.

Caso seja efetuada a entrega de uma caixa ou mercadoria em tamanho que não caiba no passa volume, o carteiro deve ser orientado pelo porteiro a deixar o protocolo de entrega no passa volume. Após o porteiro assinar o protocolo, deve pedir que o mesmo deixe a entrega na clausura e feche o portão. Quando o mesmo se afastar, o zelador ou controlador de acesso ou rondante, deve ser informado sobre o fato para recolher a entrega e deixá-la no local de praxe.

EM QUÊ O MORADOR PODE CONTRIBUIR PARA NÃO HAVER RISCO ALTO?

Evitar sair, se possível, no momento em que a clausura estiver sendo utilizada para triagens como esta. Orientar seus familiares, principalmente crianças e adolescentes, a fazerem o mesmo.

Não exagerar na cortesia deixando que o portão de acesso a rua fique aberto, enquanto estiver entrando ou saindo para que uma pessoa estranha ao condomínio entre.

Acredito que usando estas regras o risco será menor, e consequentemente a sua sensação de segurança será aumentada.

Outro crime que tem ganhado notoriedade na mídia e na sociedade paulistana é o “roubo, furto ou sequestro de animais de estimação”, causando um grande sofrimento a família ou a pessoa a quem ele pertencia.

Veja algumas dicas preventivas de segurança para reduzir os riscos de ocorrências como estas envolvendo seus animaizinhos.

  1. Não permita que seu cão seja transportado para banho ou tosa sem que antes tenha ido pessoalmente ao local e conhecido o serviço prestado pela loja.
  2. Evite passear com seu cão em lugares ermos e mal iluminados, principalmente à noite.
  3. Quando contratar uma pessoa para passear com o seu cão, tenha antecipadamente todas as informações possíveis sobre a pessoa tais como endereço, documentos e referencias; faça um contrato de prestação de serviços.
  4. Utilize recursos tecnológicos, tais como, rastreadores com cercas virtuais que informem via internet a localização do seu animal. Alguns dispõem inclusive de escutas que permitem ouvir em tempo real as conversas em torno do animal.
  5. Evite demonstrar em público o sentimento pelo seu animal, quando a gente ama de verdade nosso animal de estimação não há a necessidade de demonstrar isso constantemente em qualquer lugar, isso pode subsidiar qualquer pessoa mal intencionada a fazer algo que coloque em risco a integridade do seu animal.

 

Aviso importante:

O conteúdo exibido nesta seção é gratuito, e apresenta caráter meramente informativo. O Portal SíndicoNet não se responsabiliza pelo conteúdo, nem pelas decisões baseadas nas opiniões e recomendações contidas nesta seção. Assim, o Portal SíndicoNet se exime de qualquer responsabilidade pelos eventuais danos ou prejuízos, de qualquer natureza, que possam decorrer da utilização deste conteúdo, por qualquer meio ou processo, e para quaisquer fins. Em caso de dúvidas, é indispensável a consulta a um advogado ou especialista.
Para saber mais, acesse nosso Regulamento de Uso.

Depoimentos

próximo
Receba nossos Boletins

Mantenha-se Informado com as últimas notícias da área em seu email:

{{errorMessage}}

Assinatura efetuada com sucesso!

carregando...