O seu navegador é muito antigo :-(

Dica: Troque gratuitamente para um navegador mais atual para ter uma melhor experiência no SíndicoNet ;-)

Escolha um navegador ×
Segurança

Onda de violência

Prédio em SP é invadido por homens vestidos como policiais

Publicado em: terça-feira, 19 de junho de 2012

 Câmera de prédio registra chegada de ladrões a empresa de segurança

Gravação mostra movimentação em crime ocorrido na Zona Oeste de SP.
 

 

 A polícia procura os criminosos que se passaram por policiais federais para invadir uma empresa de segurança privada e roubar armas nesta terça-feira (4) no Butantã, Zona Oeste de São Paulo. Uma câmera instalada em um prédio na mesma rua registrou de longe a movimentação dos criminosos chegando de carro e entrando na empresa. Depois, eles saíram em alta velocidade e ultrapassaram um sinal vermelho.
 
As imagens do monitoramento da própria empresa não poderão ser usadas porque os criminosos levaram as mídias com as gravações e o computador que gerenciava o sistema interno.
Os funcionários rendidos disseram que os suspeitos agiram de forma violenta, agredindo e ameaçando matá-los. Eles contaram que temeram pelas suas vidas. Cerca de 80 armas e uma grande quantidade de munição foram levadas.
 
'Foi uma sessão de tortura', afirma funcionário de empresa roubada
Os suspeitos invadiram a empresa quando um dos funcionários dirigiu-se ao carro dele, estacionado em frente à casa onde funciona a empresa de segurança, para pegar um laptop. "Eles perguntaram por um tal de Ramón, que trabalhou aqui, mas saiu já faz um tempo", contou o segurança Paulo Fernando Oliveira, de 44 anos.
 
O funcionário abordado disse, então, que não conhecia a pessoa citada e decidiu retornar para dentro da empresa. Quando fechava a porta, o criminoso que se apresentou como policial federal, de arma em punho, o rendeu, permitindo a entrada dos demais do grupo. Os funcionários, em seguida, sofreram uma série de agressões e foram amarrados. "Daí começou a sessão de tortura. Me espancaram, me deram coronhada na cabeça, na nuca, me chutaram nas costas, me pisotearam. Ameaçaram nos matar o tempo todo", disse Oliveira, exibindo escoriações na nuca.
 
Segundo o segurança, os criminosos falaram que pertenciam a uma facção que age dentro e fora dos presídios paulistas. Depois, citaram um segundo nome, de um tal de Ângelo, que também havia trabalhado na empresa. Os funcionários, no entanto, disseram que também não o conheciam. Os assaltantes roubaram cerca de 80 armas, sendo 40 espingardas calibre 12, pistolas, revólveres calibre 38, 3.200 munições e 12 coletes à prova de bala. Além disso, levaram celulares, carteiras e chaves dos carros dos funcionários.

 

Fonte: http://g1.globo.com

Aviso importante:

O conteúdo exibido nesta seção é gratuito, e apresenta caráter meramente informativo. O Portal SíndicoNet não se responsabiliza pelo conteúdo, nem pelas decisões baseadas nas opiniões e recomendações contidas nesta seção. Assim, o Portal SíndicoNet se exime de qualquer responsabilidade pelos eventuais danos ou prejuízos, de qualquer natureza, que possam decorrer da utilização deste conteúdo, por qualquer meio ou processo, e para quaisquer fins. Em caso de dúvidas, é indispensável a consulta a um advogado ou especialista.
Para saber mais, acesse nosso Regulamento de Uso.

Depoimentos

próximo
Receba nossos Boletins

Mantenha-se Informado com as últimas notícias da área em seu email:

{{errorMessage}}

Assinatura efetuada com sucesso!

carregando...