O seu navegador é muito antigo :-(

Dica: Troque gratuitamente para um navegador mais atual para ter uma melhor experiência no SíndicoNet ;-)

Escolha um navegador ×
Manutenção

Recuperação do imóvel

Donos de prédio interditado em Salvador decidem recuperar patrimônio

Publicado em: terça-feira, 9 de junho de 2015

Moradores de edifício interditado em Pernambués decidem recuperar imóvel

Os 32 apartamentos do Jardim Brasília estão desocupados e os moradores desalojados desde o dia 23 do mês passado
 
Os moradores do edifício Jardim Brasília, em Pernambués, preferiram apostar na recuperação do prédio, que está interditado e corre risco de desabar. Em reunião realizada no domingo (7), os condôminos decidiram contratar uma empresa para a reforma e, assim, recuperar o imóvel.
 
Os 32 apartamentos do Jardim Brasília estão desocupados e os moradores desalojados desde o dia 23 do mês passado, quando a Defesa Civil (Codesal) identificou o risco de desabamento. Apesar das rachaduras que surgiram com as chuvas que atingiram Salvador, tendo como base laudos da própria Codesal, os moradores estão certos de que o prédio é recuperável.
 
"A notificação da Codesal diz que o prédio deve ser demolido ou recuperado. Os moradores decidiram pela segunda opção”, afirmou o advogado dos condôminos, José Alexandrino Costa Filho. Mas o caminho é longo. A empresa a ser contratada ainda vai avaliar a extensão dos estragos, calcular os custos da reforma e apontar os prazos para entrega.
 
“Achamos melhor recuperar o prédio porque assim teremos algo. Se demolisse seriam dois gastos, um para demolir e outro para construir”, justificou o analista de sistema Fábio Gomes, 31 anos, um dos que adquiriram apartamento no Jardim Brasília.
 
Segundo o advogado, os moradores se reúnem hoje com a Defesa Civil para, amanhã, receberem do órgão uma certidão com a avaliação completa dos problemas do edifício. Construído em 2009, o Jardim Brasília tem nove pavimentos — cinco a mais do que estava previsto no projeto inicial. Moradores contaram que pagaram R$ 150 mil em  unidades de 90 m², com dois quartos, suíte, cozinha, sala e varanda.
 
A construção, concluída há quatro anos, chegou a ser embargada pela Sucom em 2010, já que deveria ter quatro andares e seria concluído com nove. Apesar do embargo, as obras continuaram. Depois, descobriu-se que o edifício tinha o Habite-se (documento de autorização de moradia) falsificado.
 
 

Fonte: http://www.correio24horas.com.br/

Aviso importante:

O conteúdo exibido nesta seção é gratuito, e apresenta caráter meramente informativo. O Portal SíndicoNet não se responsabiliza pelo conteúdo, nem pelas decisões baseadas nas opiniões e recomendações contidas nesta seção. Assim, o Portal SíndicoNet se exime de qualquer responsabilidade pelos eventuais danos ou prejuízos, de qualquer natureza, que possam decorrer da utilização deste conteúdo, por qualquer meio ou processo, e para quaisquer fins. Em caso de dúvidas, é indispensável a consulta a um advogado ou especialista.
Para saber mais, acesse nosso Regulamento de Uso.

Depoimentos

próximo
Receba nossos Boletins

Mantenha-se Informado com as últimas notícias da área em seu email:

{{errorMessage}}

Assinatura efetuada com sucesso!

carregando...