O seu navegador é muito antigo :-(

Dica: Troque gratuitamente para um navegador mais atual para ter uma melhor experiência no SíndicoNet ;-)

Escolha um navegador ×
Administração

Sem pagamento

Zelador é agredido, pede demissão e não recebe valor de aviso prévio

Publicado em: quarta-feira, 26 de dezembro de 2012

 Após ser agredido com uma marreta e humilhado por morador, zelador aguarda pagamento de indenização

Por medo, ele pediu demissão há um mês, mas não recebeu valor do aviso prévio
  
Após ser agredido com uma marreta e humilhado por um morador de um prédio do Guará, região administrativa do DF, o zelador Lúcio Cláudio Oliveira, aguarda o pagamento de indenização.
 
Desempregado há um mês, ele garante que se sentiu obrigado a pedir demissão porque estava com medo de o morador cometer novas agressões ou até matá-lo.
 
As câmeras de segurança do prédio flagraram o zelador sendo agredido pelo morador Gilsen Frossard, que tem uma longa ficha criminal, algumas vezes. Em uma das situações, o acusado intimidou o zelador e chegou a jogar o carro em cima dele.
 
O contrato era de experiência e o zelador teria que ficar pelo menos três meses no emprego, mas fez um acordo com a síndica e foi embora antes. Ele recebeu no dia 26 de novembro o valor de R$ 1.633,57, mas deveria receber mais R$ 800, referentes à indenização de aviso prévio.
 
— Até hoje o dinheiro não entrou na minha conta. O prazo que eles deram era de dez dias. Entrei em contato com o condomínio para cobrar alguma resposta, mas não consegui falar com ninguém.
 
O zelador mora em Samambaia, região administrativa do DF, com a mulher e a filha, que tem um ano e nove meses. Ele diz que com o dinheiro da rescisão contratual do trabalho, ele conseguiu pagar o aluguel, no valor de R$ 250 e as contas de água e luz, que juntas somam R$ 70, mas não sabe como será de agora em diante.
 
— Nós dois [ele e a mulher] estamos desempregados e não temos como arcar com as próximas despesas. Recebo ajuda de amigos, dos meus pais e da igreja, mas não será o suficiente.
 
A advogada trabalhista Francisca Aires de Lima Lete conta que o valor da indenização realmente deveria ter sido pago dez dias após a rescisão do contrato.
 
— É um prazo estipulado por lei. Ele está no direito e pode entrar na Justiça. Além disso, ele também pode ser indenizado pelas agressões sofridas enquanto trabalhava no prédio.
 
Enquanto o caso não é resolvido, o zelador espera que a justiça seja feita e torce por dias melhores.

Fonte: http://noticias.r7.com

Aviso importante:

O conteúdo exibido nesta seção é gratuito, e apresenta caráter meramente informativo. O Portal SíndicoNet não se responsabiliza pelo conteúdo, nem pelas decisões baseadas nas opiniões e recomendações contidas nesta seção. Assim, o Portal SíndicoNet se exime de qualquer responsabilidade pelos eventuais danos ou prejuízos, de qualquer natureza, que possam decorrer da utilização deste conteúdo, por qualquer meio ou processo, e para quaisquer fins. Em caso de dúvidas, é indispensável a consulta a um advogado ou especialista.
Para saber mais, acesse nosso Regulamento de Uso.

Depoimentos

próximo
Receba nossos Boletins

Mantenha-se Informado com as últimas notícias da área em seu email:

{{errorMessage}}

Assinatura efetuada com sucesso!

carregando...