O seu navegador é muito antigo :-(

Dica: Troque gratuitamente para um navegador mais atual para ter uma melhor experiência no SíndicoNet ;-)

Escolha um navegador ×
Administração

Vagas para deficientes

Em Florianópolis condomínios comerciais sentem a falta de espaço

Publicado em: terça-feira, 9 de outubro de 2012

 Condomínios comerciais x vagas para deficientes 

 Seguindo os parâmetros da Lei Federal 10.098, o Decreto 5296/2004 dispõe que, nos estacionamentos externos ou internos das edificações de uso público, coletivo, ou naqueles localizados nas vias públicas, devem ser reservados, pelo menos, 2% do total de vagas para veículos que transportem pessoa portadora de deficiência física ou visual. Dessas vagas, no mínimo, uma deve ser localizada próximo à entrada principal ou ao elevador, de fácil acesso à circulação de pedestres.
 
O condomínio Centro Comercial Campinas, no Kobrasol, em São José, supera o mínimo exigido pela legislação – de 90 vagas, três são reservadas para deficientes. De acordo com o síndico Olvir Favaretto, mais do que o cumprimento à lei, é, sobretudo, uma questão de respeito ao ser humano.
 
“Desde o dia que eu assumi o cargo, me preocupei em atender às necessidades de pessoas com problemas de locomoção. Fizemos rampas de acesso e criamos as vagas de estacionamento”. Segundo Favaretto, independente de lei, se houvesse a necessidade de acrescentar mais vagas privativas, o condomínio tomaria as providências. “Temos que andar sempre à frente da necessidade. O nosso Conselho Consultivo é consciente”, diz.
 
No entanto, a maioria dos edifícios em Florianópolis ainda não se adaptou à exigência e a principal justificativa é a falta de espaço. De acordo com a promotora Caroline Moreira Suzin, coordenadora do Centro de Apoio Operacional da Cidadania e Fundações do Ministério Público de Santa Catarina, a lei é clara e, progressivamente, todas as edificações que se enquadram nessa legislação devem ser adaptar.
 
“O mais importante de tudo é que se crie uma cultura de acessibilidade em atenção às pessoas que necessitam, que os síndicos se conscientizem e também que as novas construções já venham adaptadas”, diz.
 
Já os prédios residenciais não se encaixam nessa obrigatoriedade de disponibilizar vagas privilegiadas. Entretanto, não custa nada facilitar e, seguindo o bom senso, o recomendado é destinar as vagas próximas dos elevadores e portas de acesso para quem tem dificuldade de locomoção.
 
“A regra para os residenciais está nas condições de acesso. Os pisos das áreas comuns não podem ter desníveis, as portarias e elevadores devem seguir as medidas e os padrões exigidos”, ressalta a promotora.
 
 
De acordo com o Ministério Público, a utilização das vagas reservadas por veículos que não estejam transportando pessoa portadora de deficiência física ou visual constitui ato de infração e está sujeito a penalidades previstas em Lei.

Fonte: http://condominiosc.com.br

Aviso importante:

O conteúdo exibido nesta seção é gratuito, e apresenta caráter meramente informativo. O Portal SíndicoNet não se responsabiliza pelo conteúdo, nem pelas decisões baseadas nas opiniões e recomendações contidas nesta seção. Assim, o Portal SíndicoNet se exime de qualquer responsabilidade pelos eventuais danos ou prejuízos, de qualquer natureza, que possam decorrer da utilização deste conteúdo, por qualquer meio ou processo, e para quaisquer fins. Em caso de dúvidas, é indispensável a consulta a um advogado ou especialista.
Para saber mais, acesse nosso Regulamento de Uso.

Depoimentos

próximo
Receba nossos Boletins

Mantenha-se Informado com as últimas notícias da área em seu email:

{{errorMessage}}

Assinatura efetuada com sucesso!

carregando...