O seu navegador é muito antigo :-(

Dica: Troque gratuitamente para um navegador mais atual para ter uma melhor experiência no SíndicoNet ;-)

Escolha um navegador ×
Manutenção

Vizinho problema

Muro de condomínio cai e moradores culpam ocupação vizinha

Publicado em: segunda-feira, 4 de julho de 2016

Ocupação de terreno causa queda de muro

A convivência nada harmoniosa entre ocupantes de um terreno particular no bairro Cidade São Jorge, em Santo André, e moradores do Condomínio New York, localizado nos fundos da invasão, ganhou mais um capítulo após desabamento do muro do prédio, no início da noite de quarta-feira. Segundo os moradores, a queda foi causada pela intensa escavação para construção de barracos. Ninguém se feriu. Em abril, o Diário noticiou a situação conflituosa, que já dura pelo menos seis anos.

“Eram por volta de 18h10 quando ouvi um barulho muito forte, parecia uma explosão. Quando olhei pela janela, vi que o muro havia caído”, contou a moradora Catarina Giordano, 56 anos. 

A Defesa Civil esteve no local e, segundo o Semasa (Serviço Municipal de Saneamento Ambiental de Santo André), a causa do desmoronamento foi o aterramento realizado atrás da muro. “Como a estrutura não foi planejada e executada para ser um muro de arrimo ou de contenção, ocorreu a ruptura e a queda.”

Esta não é a primeira vez que a estrutura desmorona. Em 2014, a quantidade de entulho jogada pelos invasores rompeu o muro do condomínio, que entrou com ação judicial para que o proprietário, Sérgio José Polisel, fizesse a reconstrução.

A obra foi realizada sem nenhum tipo de projeto, o que fez o Judiciário exigir que fosse reconstruída, o que não aconteceu. Agora, como medida paliativa, o próprio condomínio improvisou isolamento com tapumes, trabalho que custou quase R$ 700 para preencher os 12 metros de extensão destruídos.

“Chamamos um engenheiro e um arquiteto para fazer orçamento e estimo que, para reconstruir, vá pelo menos uns R$ 20 mil”, disse o síndico André Luis Rodrigues, 41.

Desde novembro de 2013, tramita no TJ (Tribunal de Justiça do Estado) processo com pedido de reintegração de posse, mas, conforme o órgão, alguns fatores resultam na demora da decisão, como quando alguma das partes não é localizada, certidões negativas de cumprimento de mandados ou quando há recursos.

Com a demora, a ocupação se expande a cada dia. No período em que a equipe de reportagem esteve no condomínio, a movimentação de pessoas que chegavam ao terreno com telhas, madeiras e ferramentas era contínua.

“Quem está aqui não tem emprego nem condições de pagar aluguel”, disse um dos ocupantes, impedindo a entrada do Diário. São tantas as famílias que ele não soube estimar a quantidade.

Sem contato com o dono do terreno – o telefone que o síndico tinha não atende mais –, quem vem intermediando as conversas é a vereadora Elian Santana (SD), amiga de Polisel. Segundo ela, é aguardada decisão para reintegração de posse.

A Secretaria de Desenvolvimento Urbano e Habitação da Prefeitura informou que já oficiou o Ministério Público sobre a situação, e a ação está sendo encaminhada pelo Poder Judiciário. Quanto à queda do muro, o departamento de controle urbano está providenciando a notificação do proprietário do terreno sobre o ocorrido.  GABC Jornal

Fonte: http://www.dgabc.com.br/

Aviso importante:

O conteúdo exibido nesta seção é gratuito, e apresenta caráter meramente informativo. O Portal SíndicoNet não se responsabiliza pelo conteúdo, nem pelas decisões baseadas nas opiniões e recomendações contidas nesta seção. Assim, o Portal SíndicoNet se exime de qualquer responsabilidade pelos eventuais danos ou prejuízos, de qualquer natureza, que possam decorrer da utilização deste conteúdo, por qualquer meio ou processo, e para quaisquer fins. Em caso de dúvidas, é indispensável a consulta a um advogado ou especialista.
Para saber mais, acesse nosso Regulamento de Uso.

Depoimentos

próximo
Receba nossos Boletins

Mantenha-se Informado com as últimas notícias da área em seu email:

{{errorMessage}}

Assinatura efetuada com sucesso!

carregando...