O seu navegador é muito antigo :-(

Dica: Troque gratuitamente para um navegador mais atual para ter uma melhor experiência no SíndicoNet ;-)

Escolha um navegador ×
Convivência

Morte no condomínio

Esposa de assassina afirma não ter participação na morte de zelador

Publicado em: quarta-feira, 16 de julho de 2014

Caso zelador: acusada fala pela 1ª vez e se declara inocente

Ieda Cristina Martins é esposa do assassino confesso do zelador Jezi Lopes de Souza, que foi esquartejado em mais. Ela é investigada pela suposta participação no crime
 
A advogada Ieda Cristina Martin, mulher do publicitário preso pela morte do zelador Jezi Lopes em 30 de maio, deixa o 13° DP na Casa Verde, Zona Norte de São Paulo, SP, para o 89° DP do Morumbi. Ela foi a uma delegacia depor sobre o caso, mas acabou presa por ordem da Justiça do Rio de Janeiro pela morte, em 2005, do marido dela à época, o empresário José Jair Farias
 
A advogada Ieda Cristina Martins - investigada pela suposta participação na morte e esquartejamento do zelador Jezi Lopes de Souza, em maio deste ano, em São Paulo - falou pela primeira vez sobre o caso, neste domingo, ao Fantástico, da Rede Globo.
 
Na entrevista, a mulher, que é esposa do assassino confesso do zelador, diz que foi enganada pelo marido, Eduardo Martins, e que não sabia do crime. “Eles brigavam muito. Mas eu jamais poderia imaginar que ele fosse matar o zelador", afirma. "Eu vou me divorciar, inclusive já conversei com os meus advogados", completa.
 
Nas imagens de segurança, Ieda é vista no apartamento onde o crime aconteceu durante, pelo menos, 25 minutos, enquanto o corpo do zelador estava em outro lugar do imóvel. A acusada afirma que, durante esse tempo, ela foi enganada pelo marido e não sabia que havia um corpo dentro da mala que, mais tarde, ajudou a levar para o carro. 
 
“Eu sou inocente! Eu sou inocente! Mas provar a minha verdade eu não sei se eu vou conseguir", exclama Ieda. 
 
No entanto, uma prova levantada pela polícia são as botas que ela usava no dia do crime. Elas estavam com marcas de sangue. Segundo Ieda, tais marcas poderiam ter aparecido nos calçados devido a sua presença na cena do crime. Mesmo assim, garante que não reparou em nada. 
 
A versão de Ieda não convenceu a polícia de São Paulo, que pode indiciar a advogada nesta semana por homicídio, ocultação do corpo e por porte ilegal de arma. Martins foi preso em flagrante e confessou o crime.

Fonte: http://noticias.terra.com.br/

Aviso importante:

O conteúdo exibido nesta seção é gratuito, e apresenta caráter meramente informativo. O Portal SíndicoNet não se responsabiliza pelo conteúdo, nem pelas decisões baseadas nas opiniões e recomendações contidas nesta seção. Assim, o Portal SíndicoNet se exime de qualquer responsabilidade pelos eventuais danos ou prejuízos, de qualquer natureza, que possam decorrer da utilização deste conteúdo, por qualquer meio ou processo, e para quaisquer fins. Em caso de dúvidas, é indispensável a consulta a um advogado ou especialista.
Para saber mais, acesse nosso Regulamento de Uso.

Depoimentos

próximo
Receba nossos Boletins

Mantenha-se Informado com as últimas notícias da área em seu email:

{{errorMessage}}

Assinatura efetuada com sucesso!

carregando...